Vigilância Sanitária em Debate: Sociedade, Ciência & Tecnologia https://visaemdebate.incqs.fiocruz.br/index.php/visaemdebate <p align="right">&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp; e-ISSN: 2317-269X</p> <p align="justify">A revista <strong>Vigilância Sanitária em Debate: Sociedade, Ciência &amp; Tecnologia</strong> (<strong>Visa em Debate</strong>) é uma publicação trimestral exclusivamente online editada pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS) da Fiocruz, e atualmente conta com o apoio da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).</p> <p align="justify">Sua missão é publicar textos originais que contribuam para o estudo e o desenvolvimento da Vigilância Sanitária e disciplinas afins, com o objetivo de disseminar conhecimentos aplicáveis ao campo da promoção da saúde, da prevenção de doenças e outros agravos à saúde, bem como da estruturação, organização e funcionamento do sistema único de saúde no âmbito da regulação do risco sanitário.</p> <p align="justify">O INCQS é uma unidade técnica e científica da Fiocruz e um dos componentes do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária, constituindo-se assim como um indispensável elemento para o Sistema Único de Saúde (SUS).</p> <p>A abreviação da revista para a legenda é <strong>Vigil. sanit. debate</strong> (norma ABNT).</p> <p>&nbsp;</p> <p>Atualmente, a revista <strong>Vigilância Sanitária em Debate: Sociedade, Ciência &amp; Tecnologia </strong>está indexada nas seguintes bases:</p> <table width="388"> <tbody> <tr> <td width="380"> <p align="center">Base de Dados</p> </td> </tr> </tbody> </table> <table width="402"> <tbody> <tr> <td width="183"> <p>Indexador</p> </td> <td width="207"> <p align="right">Abrangência</p> </td> </tr> </tbody> </table> <table width="403"> <tbody> <tr> <td width="260" height="24"> <p><strong>ARCA/FIOCRUZ</strong> – <a href="https://www.arca.fiocruz.br/" target="_blank" rel="noopener">www.arca.fiocruz.br</a></p> </td> <td width="161"> <p align="right">Nacional</p> </td> </tr> </tbody> </table> <table width="401"> <tbody> <tr> <td width="281" height="22"> <p><strong>BVS - Biblioteca Virtual de Saúde</strong> <a href="https://scholar.google.com.br/" target="_blank" rel="noopener">scholar.google.com.br</a></p> </td> <td width="108"> <p align="right">Nacional</p> </td> </tr> </tbody> </table> <table width="401"> <tbody> <tr> <td width="281" height="22"> <p><strong>CROSSREF</strong> – <a href="https://search.crossref.org/?q=2317-269X">search.crossref.org</a></p> </td> <td width="108"> <p align="right">Internacional</p> </td> </tr> </tbody> </table> <table width="401"> <tbody> <tr> <td width="281" height="22"> <p><strong>DIADORIM/IBICT</strong> –<a href="http://diadorim.ibict.br/handle/1/620/" target="_blank" rel="noopener"> diadorim.ibict.br</a></p> </td> <td width="108"> <p align="right">Nacional</p> </td> </tr> </tbody> </table> <table width="402"> <tbody> <tr> <td width="281" height="24"> <p><strong>DOAJ</strong> – <a href="http://www.doaj.org" target="_blank" rel="noopener">www.doaj.org</a></p> </td> <td width="109"> <p align="right">Internacional</p> </td> </tr> </tbody> <tbody> <tr> <td width="281" height="22"> <p><strong>E-REVIST@S</strong> – <a href="http://www.erevistas.csic.es/" target="_blank" rel="noopener">www.erevistas.csic.es</a></p> </td> <td width="109"> <p align="right">Internacional</p> </td> </tr> </tbody> </table> <table width="401"> <tbody> <tr> <td width="281" height="22"> <p><strong>GOOGLE ACADÊMICO</strong> –<a href="https://scholar.google.com.br/" target="_blank" rel="noopener"> scholar.google.com.br</a></p> </td> <td width="108"> <p align="right">Nacional</p> </td> </tr> </tbody> </table> <table width="401"> <tbody> <tr> <td width="401" height="22"> <p><strong>LATINDEX</strong> – <a href="http://www.latindex.unam.mx/" target="_blank" rel="noopener">www.latindex.unam.mx</a></p> </td> <td width="108"> <p align="right">Internacional</p> </td> </tr> </tbody> </table> <table width="401"> <tbody> <tr> <td width="401" height="22"> <p><strong>LILACS</strong> – <a href="http://lilacs.bvsalud.org/" target="_blank" rel="noopener">lilacs.bvsalud.org</a></p> </td> <td width="108"> <p align="right">Nacional</p> </td> </tr> </tbody> </table> <table width="403"> <tbody> <tr> <td width="260" height="24"> <p><strong>OASIS/IBICT</strong> – <a href="http://oasisbr.ibict.br//" target="_blank" rel="noopener">oasisbr.ibict.br</a></p> </td> <td width="260"> <p align="right">Nacional</p> </td> </tr> </tbody> </table> <table width="403"> <tbody> <tr> <td width="401" height="24"> <p><strong>PORTAL DE PERIÓDICOS/FIOCRUZ</strong> – <a href="http://periodicos.fiocruz.br/" target="_blank" rel="noopener">periodicos.fiocruz.br</a></p> </td> <td width="260"> <p align="right">Nacional</p> </td> </tr> </tbody> </table> <table width="403"> <tbody> <tr> <td width="260" height="24"> <p><strong>PORTAL DE PERIÓDICOS CAPES</strong> – <a href="http://www.periodicos.capes.gov.br" target="_blank" rel="noopener">periodicos.capes.gov.br</a></p> </td> <td width="161"> <p align="right">Nacional</p> </td> </tr> </tbody> </table> <table width="401"> <tbody> <tr> <td width="225" height="26"> <p><strong>SUMÁRIOS</strong> – <a href="http://www.sumarios.org/" target="_blank" rel="noopener">www.sumarios.org</a></p> </td> <td width="260"> <p align="right">Nacional</p> </td> </tr> </tbody> </table> <table width="401"> <tbody> <tr> <td width="401" height="26"> <p><strong>WEB OF SCIENCE</strong> – <br><a href="http://mjl.clarivate.com/" target="_blank" rel="noopener">mjl.clarivate.com</a></p> </td> <td width="260"> <p align="right">Internacional</p> </td> </tr> </tbody> </table> <p>&nbsp;</p> <p><strong>Aguardamos a submissão do seu trabalho!</strong></p> <ul type="disc"> <li class="show"><a href="/index.php/visaemdebate/user/register" target="_blank" rel="noopener">Cadastre-se! </a></li> </ul> <p>&nbsp;</p> pt-BR <p>TERMO DE CESSÃO DE DIREITOS AUTORAIS O(s) autor(es) doravante designado(s) CEDENTE, por meio desta, cede e transfere, de forma gratuita, a propriedade dos direitos autorais relativos à OBRA à REVISTA <em>Vigilância Sanitária em Debate – Sociedade, Ciência &amp; Tecnologia</em> (<em>Visa em Debate</em>) e, representada por FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ, estabelecida na Av. Brasil, nº 4365, Manguinhos, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, CEP 21045-900, doravante designada CESSIONÁRIA, nas condições descritas a seguir: 1. O CEDENTE declara que é (são) autor(es) e titular(es) da propriedade dos direitos autorais da OBRA submetida. 2. O CEDENTE declara que a OBRA não infringe direitos autorais e/ou outros direitos de propriedade de terceiros, que a divulgação de imagens (caso as mesmas existam) foi autorizada e que assume integral responsabilidade moral e/ou patrimonial, pelo seu conteúdo, perante terceiros. 3. O CEDENTE cede e transfere todos os direitos autorais relativos à OBRA à CESSIONÁRIA, especialmente os direitos de edição, de publicação, de tradução para outro idioma e de reprodução por qualquer processo ou técnica. A CESSIONÁRIA passa a ser proprietária exclusiva dos direitos referentes à OBRA, sendo vedada qualquer reprodução, total ou parcial, em qualquer outro meio de divulgação, impresso ou eletrônico, sem que haja prévia autorização escrita por parte da CESSIONÁRIA. 4. A cessão é gratuita e, portanto, não haverá qualquer tipo de remuneração pela utilização da OBRA pela CESSIONÁRIA.</p> visaemdebate@incqs.fiocruz.br (Gisele Neves / Simone Teixeira) gisele.neves@incqs.fiocruz.br (Gisele Neves) Sex, 31 Mai 2019 16:21:25 -0300 OJS 3.1.1.4 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 Editorial https://visaemdebate.incqs.fiocruz.br/index.php/visaemdebate/article/view/1326 <p align="justify">Nesse segundo número da sétima edição da Visa em Debate, os leitores poderão ter contato com o vasto universo da Vigilância Sanitária. A área de conhecimento está abordada em diferentes aspectos pelos autores dos artigos, do debate e do relato de experiência. Isso é reflexo da amplitude de nossa rede de colaboradores, que desempenham papel extremamente relevante, tanto na submissão dos seus manuscritos como na avaliação desses trabalhos. É por meio deles que conseguimos garantir a qualidade dos trabalhos publicados.</p> Maria Helena Simões Villas Bôas ##submission.copyrightStatement## https://creativecommons.org/licenses/by/3.0/deed.pt_BR https://visaemdebate.incqs.fiocruz.br/index.php/visaemdebate/article/view/1326 Sex, 31 Mai 2019 08:34:56 -0300 Cuidado e proteção aos idosos institucionalizados na perspectiva da vigilâncias sanitária https://visaemdebate.incqs.fiocruz.br/index.php/visaemdebate/article/view/1284 <p align="justify">O cuidado à saúde no mundo ocidental tem passado por importantes mudanças, influenciado por acontecimentos e transformações culturais, econômicas e institucionais. As instituições que se ocupam desse cuidado têm vivenciado processos de transformação em relação ao mesmo – da secularização ao fenômeno da mercantilização/marketização. Este artigo tem por objetivo elaborar, a partir de revisão bibliográfica sobre o cuidar, o cuidado em saúde, situação e atenção ao idoso em instituições que realizam o cuidado humano, uma noção de cuidado em vigilância sanitária e de cuidado realizado pela Vigilância Sanitária nas Instituições de Longa Permanência (ILPI). Constata-se que o cuidado do Estado ao idoso institucionalizado ocorre de forma limitada e fragmentada e sem o exercício da intersetorialidade. A ação da vigilâncias sanitária se dá, predominantemente, pela regulação.</p> Mônica Pondé Fraga Lima de Oliveira, Ana Cristina Souto ##submission.copyrightStatement## https://creativecommons.org/licenses/by/3.0/deed.pt_BR https://visaemdebate.incqs.fiocruz.br/index.php/visaemdebate/article/view/1284 Sex, 31 Mai 2019 00:00:00 -0300 Implantação de dois modelos de programas computacionais para vigilância e detecção de erros em prescrições na produção de nutrição parenteral em uma farmácia de manipulação especializada https://visaemdebate.incqs.fiocruz.br/index.php/visaemdebate/article/view/1264 <p align="justify"><strong>Introdução</strong>: Os erros envolvendo a prescrição de medicamentos são frequentes na área da saúde, causando eventos adversos em pacientes hospitalizados e perdas econômicas no processo produtivo. A verificação das prescrições possui grande importância na vigilância e prevenção de erros, que devem ser elaboradas de forma completa e legível. <strong>Objetivo</strong>: Analisar os resultados da implantação de dois programas computacionais: o Microsoft® Excel para Mac Versão 15.27, para elaboração de prescrição eletrônica, disponibilizada para o médico prescritor, e o <em>Enterprise Resource Planning</em>, para os alertas de erros na linha de produção de nutrições parenterais, no período de 2006 a 2015. <strong>Método</strong>: Estudo de caso, realizado por meio de um levantamento longitudinal de dados primários, de natureza exploratória e descritiva, com observação participante na implantação dos programas computacionais em uma farmácia de manipulação especializada. <strong>Resultados</strong>: No ano de 2015, 39,5% das prescrições foram enviadas por meio de fax ou e-mail, porém para tais prescrições recebidas o número de Ocorrências de Erros Potenciais (OEP) foi de 97,9%. <strong>Conclusões</strong>: O programa computacional de produção demonstrou ser uma importante ferramenta de qualidade, principalmente na produção de NP para recém-nascidos, visto que identificou a prevalência de alertas de erros em prescrições, na proporção de 1,7 alerta para cada prescrição elaborada.</p> Deivid Nogueira Rafael, Simone Aquino ##submission.copyrightStatement## https://creativecommons.org/licenses/by/3.0/deed.pt_BR https://visaemdebate.incqs.fiocruz.br/index.php/visaemdebate/article/view/1264 Seg, 03 Jun 2019 00:00:00 -0300 Perfil da hepatite A no município de Belém, Pará, Brasil https://visaemdebate.incqs.fiocruz.br/index.php/visaemdebate/article/view/1216 <p align="justify"><strong>Introdução</strong>: A hepatite A é um grave problema de saúde pública no mundo. Embora tenha apresentado queda em suas taxas de incidências nacionais, no estado do Pará, Região Norte do Brasil, a incidência tem se mantido alta. <strong>Objetivo</strong>: Determinar os perfis sociodemográfico e epidemiológico da hepatite A no município de Belém. <strong>Método</strong>: A pesquisa foi realizada com os dados das fichas do Sistema de Informação de Agravos e Notificação dos casos de hepatite período de 2007 a 2016. Para a obtenção do perfil sociodemográfico utilizou-se as variáveis idade, sexo, raça e escolaridade, que foram associados ao número de casos através da análise de qui-quadrado no <em>software</em> R. Na determinação do perfil epidemiológico, usaram-se as variáveis: vacina para hepatite A; institucionalizado em; classificação final; e provável fonte. <strong>Resultados</strong>: A frequência da hepatite A foi maior em homens, crianças, pessoas declaradas pardas e em pessoas sem instituição fixa. Os casos são diagnosticados por testes laboratoriais e têm como fonte de infecção principal a água e alimentos contaminados. <strong>Conclusões</strong>: Os perfis evidenciam os grupos de maior risco e os fatores que mais corroboram para a infecção da hepatite A nos indivíduos do município de Belém. São necessários investimentos na área de saneamento para que haja uma efetiva diminuição dos casos nesta área.</p> Karla de Souza Santos, Ricardo José de Paula Souza e Guimarães, Priscila Sanjuan de Medeiros Sarmento, Gundisalvo Piratoba Morales ##submission.copyrightStatement## https://creativecommons.org/licenses/by/3.0/deed.pt_BR https://visaemdebate.incqs.fiocruz.br/index.php/visaemdebate/article/view/1216 Sex, 31 Mai 2019 00:00:00 -0300 Perspectivas e intereses en la construcción de normas de salud ocupacional: el caso de las nanopartículas de plata https://visaemdebate.incqs.fiocruz.br/index.php/visaemdebate/article/view/1257 <p align="justify"><strong>Introducción</strong>: La regulación de substancias químicas envuelve una difícil negociación entre actores sociales, y requiere de la articulación entre el análisis científico y su conversión en norma jurídica. <strong>Objetivo</strong>: El artículo aborda la discusión suscitada por la consulta pública sobre una propuesta de guía voluntaria de regulación de nanopartículas de plata (AgNP) en locales de trabajo en los Estados Unidos. Se examinan los comentarios realizados entre 2016 y 2018 por diversos actores sociales – representantes de empresas, organizaciones no gubernamentales (ONG) e investigadores independientes – a dos versiones sucesivas de borrador de Recommended Exposure Limit (REL) en ambientes de trabajo con AgNP. Se trata de una guía voluntaria de<br>límites de exposición permisibles elaborada por el NIOSH de los Estados Unidos. Una guía de esta naturaleza combina información científica con su ajuste jurídico. <strong>Método</strong>: La metodología utilizada fue un análisis de contenido de los comentarios, estructurado a partir de la contextualización histórica y sociotécnica de las nanotecnologías realizada mediante revisión de literatura y análisis documental. <strong>Resultados</strong>: El artículo muestra la manera como los diferentes actores sociales se situaron en la controversia sobre los riesgos de la nanoplata, develando un patrón de comportamiento que es acorde con la posición que tienen en el proceso de investigación, producción y comercialización de este nuevo nanomaterial. Mientras un conjunto de actores, que responde a los intereses de los productores de AgNP, propuso restringir medidas regulatorias obligatorias y específicas para AgNP, otro grupo de actores, más heterogéneo, identificado con los intereses de trabajadores y consumidores, demandó ampliar la información científico-técnica y exigió medidas de protección a la salud más estrictas. <strong>Conclusiones</strong>: Entre estas posiciones divergentes, la agencia regulatoria se comportó de forma transparente y receptiva al conducir la consulta pública y modificó substancialmente los límites de exposición a las AgNP propuestos originalmente.</p> Guillermo Foladori, Noela Invernizzi ##submission.copyrightStatement## https://creativecommons.org/licenses/by/3.0/deed.pt_BR https://visaemdebate.incqs.fiocruz.br/index.php/visaemdebate/article/view/1257 Sex, 31 Mai 2019 00:00:00 -0300 Análise do impacto da avaliação clínica no registro sanitário de dispositivos médicos de alto risco https://visaemdebate.incqs.fiocruz.br/index.php/visaemdebate/article/view/1231 <p align="justify"><strong>Introdução</strong>: A avaliação clínica de dispositivos médicos é um componente importante na avaliação de novas tecnologias para fins de registro sanitário no âmbito da Agência Nacional de Vigilância Sanitária e representa uma ferramenta importante para a tomada de decisão regulatória para verificar a conformidade com as normativas que estabelecem a necessidade de comprovação de segurança e eficácia de dispositivos médicos para efetuar o registro sanitário. <strong>Objetivo</strong>: Avaliar e discutir as razões para o indeferimento de solicitações de registro motivadas por deficiências relacionadas à avaliação clínica dos dispositivos médicos de alto risco. <strong>Método</strong>: Foram avaliados no sistema eletrônico Datavisa, sistema interno para armazenamento e análise de<br>dados de processos submetidos à Anvisa, todos os indeferimentos ocorridos em 2017 no âmbito da Gerência-Geral de Tecnologia de Produtos para Saúde (GGTPS), que tiveram como causa aspectos relativos à avaliação clínica de dispositivos médicos de classe de risco III e IV, tanto na causa original do indeferimento, quanto relacionadas ao não cumprimento dos prazos legalmente estabelecidos para o cumprimento das<br>exigências quando pelo menos uma das exigências envolvia a avaliação clínica. <strong>Resultados</strong>: Foram recolhidos dados dos pareceres construídos pelos especialistas da agência para construir o delineamento das principais características relacionadas aos indeferimentos em relação à avaliação clínica oferecida nos dossiês de registro pelas empresas responsáveis pela submissão. As avaliações foram discriminadas de acordo com a área responsável pelo registro, envolvendo materiais implantáveis em ortopedia submetidos à análise da Coordenação de Materiais Implantáveis em Ortopedia (CMIOR), materiais de uso em saúde submetidos à análise da Gerência de Tecnologia de Materiais de Uso em Saúde (Gemat) e equipamentos submetidos à&nbsp;análise da Gerência de Tecnologia em Equipamentos (GQUIP) da Anvisa. <strong>Conclusões</strong>: Considerando a amostra de indeferimentos de registro sanitário estudada, os achados sugerem uma heterogeneidade tanto na qualidade quanto no formato dos dados fornecidos em avaliações clínicas pelas empresas que submetem registros sanitários de dispositivos médicos, especialmente relacionado à natureza metodológica dos ensaios&nbsp;clínicos apresentados, deficiências no gerenciamento de risco e demais requisitos regulatórios relacionados ao cenário da avaliação clínica de dispositivos médicos e conformidade com os requisitos mínimos do projeto.</p> Alessandro Ferreira do Nascimento ##submission.copyrightStatement## https://visaemdebate.incqs.fiocruz.br/index.php/visaemdebate/article/view/1231 Sex, 31 Mai 2019 00:00:00 -0300 Reações adversas ao medicamento L-asparaginase em pacientes oncopediátricos https://visaemdebate.incqs.fiocruz.br/index.php/visaemdebate/article/view/1295 <p align="justify"><strong>Introdução</strong>: Reação adversa a medicamento (RAM) é definida como “qualquer resposta prejudicial ou indesejável e não intencional que ocorre com medicamentos em doses usualmente empregadas no ser humano. <strong>Objetivo</strong>: Descrever as reações adversas ao medicamento L-asparaginase, desenvolvidas por pacientes oncopediátricos, acompanhados pelo serviço de Farmácia Clínica, em um hospital filantrópico, de Salvador, Bahia, Brasil. <strong>Método</strong>: Trata-se de um estudo transversal, retrospectivo, descritivo, no qual foi realizada análise de nove prontuários eletrônicos dos pacientes oncopediátricos, em uso de L-asparaginase no período de junho de 2017 a fevereiro de 2018. <strong>Resultados</strong>: Entre os pacientes, 66,7% pertenciam ao sexo masculino e 55,6% apresentavam idade ≤ 5 anos. A Leucemia Linfoide Aguda foi o diagnóstico de todos os pacientes. Sessenta e sete vírgula sete por cento (66,7%) do grupo de estudo apresentou algum tipo de reação adversa, sendo prurido a mais frequente (36%) e, em 66,7% das situações, o medicamento foi suspenso. Todas as reações foram notificadas. <strong>Conclusões</strong>: Os resultados sugerem que é necessária uma atenção especial aos pacientes oncopediátricos, visto que a possibilidade de ocorrer reações adversas a medicamento é mais elevada. Com a atuação do farmacêutico nos centros de alta complexidade em oncologia, é possível desenvolver estratégias e promover ações para prevenir ou minimizar a ocorrência desses eventos adversos, durante a terapia antineoplásica.</p> Khrisna Fiuza Barbosa, Rosa Malena Fagundes Xavier, Martamaria de Souza Ferraz Ribeiro, Maria Teresita Bendicho ##submission.copyrightStatement## https://creativecommons.org/licenses/by/3.0/deed.pt_BR https://visaemdebate.incqs.fiocruz.br/index.php/visaemdebate/article/view/1295 Sex, 31 Mai 2019 00:00:00 -0300 Plasma fresco congelado: insumo farmacêutico para produção de medicamentos hemoderivados https://visaemdebate.incqs.fiocruz.br/index.php/visaemdebate/article/view/1283 <p align="justify"><strong>Introdução</strong>: No Brasil, a prática hemoterápica foi iniciada como especialidade médica, na década de 1940, no eixo Rio de Janeiro e São Paulo com a inauguração do primeiro Banco de Sangue no Instituto Fernandes Figueira. Como iniciativa governamental, foi promulgada pelo Ministério da Saúde a Lei n° 1.075, de 27 de março de 1950, que dispõe sobre a doação voluntária de sangue, culminando com a Lei nº 10.205, de 21 de março de 2001, que regulamentou o parágrafo 4º do artigo 199 da Constituição Federal, relativo à coleta, processamento, estocagem, distribuição e aplicação do sangue e seus componentes. Dentre os componentes obtidos nos Serviços de Hemoterapia destaca-se o plasma fresco congelado (PFC) que pode ser transfundido e quando excedente da terapia, seguir para ser beneficiado a medicamentos hemoderivados industrializados. <strong>Objetivo</strong>: Desta forma, este estudo pretende demonstrar os aspectos mais relevantes relativos à recuperação do teor de fator VIII, nas unidades de PFC coletadas em 72 Serviços de Hemoterapia visitados no país, visando seu aproveitamento seguro e eficaz tanto para o uso terapêutico, quanto como insumo farmacêutico na produção de medicamentos hemoderivados. <strong>Método</strong>: A metodologia adotada compreendeu cinco etapas: Elaboração e validação do questionário aplicado; Seleção dos Serviços de Hemoterapia a serem visitados; Análise dos indicadores de qualidade segundo a Tríade de Donabedian; Coleta, acondicionamento e transporte das unidades de PFC; Análise do teor de fator VIII nas unidades de PFC coletadas durante a visita técnica, no período de 2013 a 2015. <strong>Resultados</strong>: Dentre os resultados obtidos, destaca-se a análise do teor de fator VIII (UI/mL) nas unidades de PFC, com os seguintes resultados: média de 0,68; desvio-padrão de 0,32; coeficiente de variação de 47,1%, intervalo de confiança de 0,64 a 0,71. <strong>Conclusões</strong>: O teor de fator VIII superior ou igual a 0,70 UI/mL foi encontrado em 38,5% das unidades de PFC, conforme especificado na Farmacopeia Brasileira e esses podem e devem ser utilizados como insumo farmacêutico na produção de medicamentos hemoderivados. Este estudo também evidenciou o descarte de aproximadamente 500 milhões de UI/mL de fator VIII o que representa 83,0% da aquisição anual, pelo Ministério da Saúde, do medicamento Concentrado de fator VIII. Essa utilização poderia gerar uma expressiva economia aos cofres públicos.</p> Marisa Coelho Adati, Antônio Eugênio Castro Cardoso de Almeida, Álvaro da Silva Ribeiro, Helena Cristina Balthazar Guedes Borges, Marlon Akio da Silva Issobe ##submission.copyrightStatement## https://creativecommons.org/licenses/by/3.0/deed.pt_BR https://visaemdebate.incqs.fiocruz.br/index.php/visaemdebate/article/view/1283 Sex, 31 Mai 2019 00:00:00 -0300 Otimização e validação intralaboratorial de método analítico por CLAE/UV para identificação e quantificação de p-fenilenodiamina em tinturas de hena para cabelos e sobrancelhas https://visaemdebate.incqs.fiocruz.br/index.php/visaemdebate/article/view/1265 <p align="justify"><strong>Introdução</strong>: O p-fenilenodiamina (PPD), amina aromática sensibilizante, vem sendo adicionado ao pó de hena para modificar sua cor natural para preta, aumentando seu tempo de fixação, prática proibida em tinturas para cílios e sobrancelhas. <strong>Objetivo</strong>: O objetivo deste estudo foi otimizar e validar, em níveis intralaboratoriais, um método analítico por CLAE/UV para identificação e quantificação de PPD em tinturas de hena para cabelos e sobrancelhas. <strong>Método</strong>: Foi utilizada coluna em fase reversa C8, fase móvel trietanolamina 1% (pH 8,4) e acetonitrila (99:1, v/v), detecção a 280 nm, volume de injeção de 10 μL, fluxo 1,0 mL/min, temperatura da coluna<br>32°C, tempo de corrida 10 min, linearidade 5-45 μg/mL (n = 5) com coeficiente de correlação de 0,9982. Para o teste de Cochran (homocedasticidade), 0,3350 e o Ccrítico (0,3934), com 99% de confiança. Limites de detecção, 1,17 μg/mL e quantificação, 3,54 μg/mL. O coeficiente de variação da repetibilidade 0,12% e na precisão intermediária pelo teste F obteve-se p-valor de 0,283 com 95% de confiança. <strong>Resultados</strong>: Os resultados da exatidão compreenderam os critérios de aceitação (90%-107%). Das 19 amostras analisadas, 14 apresentaram teor de PPD entre 1,74% a 3,65% p/p, em desacordo com a Legislação.<strong> Conclusões</strong>: O método proposto poderá contribuir com o monitoramento da qualidade e segurança de uso destes produtos.</p> Maria Cristina Santa Barbara, Helena Miyoco Yano, Fernanda Fernandes Farias, Luiz Fernando Ortiz Gasparin, Edilene Afonso Vieira, Luz Marina Trujillo, Valeria Adriana Pereira Martins, Lígia Luriko Miyamaru, Blanca Elena Ortega Markman ##submission.copyrightStatement## https://visaemdebate.incqs.fiocruz.br/index.php/visaemdebate/article/view/1265 Sex, 31 Mai 2019 00:00:00 -0300 Adequação do manual de boas práticas e dos procedimentos operacionais padronizados em serviços de alimentação de Ponta Grossa, Paraná https://visaemdebate.incqs.fiocruz.br/index.php/visaemdebate/article/view/1221 <p><strong>Introdução</strong>: O Manual de Boas Práticas (MBP) e os Procedimentos Operacionais Padronizados (POP) são documentos que têm como finalidade retratar as operações executadas pelos estabelecimentos. <strong>Objetivo</strong>: Nesse contexto, o presente trabalho teve como objetivo analisar a adequação destes documentos em serviços de alimentação. <strong>Método</strong>: Assim, foram avaliados in loco os MBP e POP de 15 serviços de alimentação, divididos em três categorias, sendo utilizada uma lista de verificação elaborada com base nas legislações sanitárias vigentes. Esta lista era composta por oito itens sobre o MPB e oito sobre os POP e contemplava aspectos como linguagem, presença dos itens obrigatórios, local de armazenamento e estado de atualização dos documentos. <strong>Resultados</strong>: A média de adequação dos manuais e dos POP foi de 60,62% e 80,50%, respectivamente. Contudo, foram verificadas diferenças entre as três categorias de estabelecimentos, com menor nível de adequação nas unidades de alimentação e nutrição. Além disso, alguns documentos não retratavam a realidade dos locais e não apresentavam assinaturas, fato que aponta falta de compromisso em sua implementação. A linguagem utilizada não era simples e compreensível e muitos documentos estavam desatualizados. <strong>Conclusões</strong>: Com base nessa análise, conclui-se que embora os serviços de alimentação apresentem MBP e POP, muitos pontos na elaboração e implementação precisam ser melhorados.</p> Cristiane Belphman, Sunáli Batistel Szczerepa ##submission.copyrightStatement## https://creativecommons.org/licenses/by/3.0/deed.pt_BR https://visaemdebate.incqs.fiocruz.br/index.php/visaemdebate/article/view/1221 Sex, 31 Mai 2019 00:00:00 -0300 Uso e conhecimento sobre rotulagem de alimentos ultraprocessados entre estudantes universitários https://visaemdebate.incqs.fiocruz.br/index.php/visaemdebate/article/view/1250 <p><strong>Introdução</strong>: Alimentos ultraprocessados são formulações industriais que apresentam em sua composição uma série de aditivos alimentares. A rotulagem de alimentos é uma ferramenta para a tomada de decisão dos consumidores. <strong>Objetivo</strong>: Analisar o uso e conhecimento sobre rotulagem de alimentos ultraprocessados por estudantes universitários. <strong>Método</strong>: Estudo transversal utilizando questionário eletrônico autoaplicável. A amostra foi composta por 129 estudantes de universidade pública do Rio de Janeiro de cursos de graduação da área da saúde e de outras áreas. As variáveis estudadas relacionadas ao uso de rotulagem de alimentos ultraprocessados e ao conhecimento sobre 12 tipos de aditivos alimentares e/ou ingredientes foram descritas para o conjunto da população e estratificadas por área de curso. <strong>Resultados</strong>: Mais da metade dos indivíduos referiu ler rótulos. Os itens mais lidos foram: número de calorias (40,3%), todas as informações (22,4%) e lista de ingredientes (17,8%). A principal diferença entre os estudantes se refere ao conhecimento de ingredientes e/ou aditivos, sendo mais conhecidos pelos da área da saúde. Os ingredientes e/ou aditivos<br>mais conhecidos foram os mesmos: frutose e glucose – saúde: 84,5% (72,5; 91,8) e outras áreas: 50,7% (39,0; 62,2) – e aspartame – saúde: 65,5% (52,2; 76,7) e outras áreas: 40,8% (29,9; 52,7). Estudantes da área da saúde deixariam de comprar alimentos na presença de algum dos aditivos e/ou ingredientes estudados com maior frequência. <strong>Conclusões</strong>: Verificou-se alta frequência de estudantes que leem o rótulo de alimentos e, apesar de conhecerem poucos ingredientes e/ou aditivos, a presença destes influencia sua decisão de compra. Assim, a rotulagem nutricional é importante para as escolhas alimentares.</p> Patricia Fernandes da Silva Gomes, Raquel de Almeida Alvarenga, Daniela Silva Canella ##submission.copyrightStatement## https://creativecommons.org/licenses/by/3.0/deed.pt_BR https://visaemdebate.incqs.fiocruz.br/index.php/visaemdebate/article/view/1250 Sex, 31 Mai 2019 00:00:00 -0300 Estudo da eficácia de saneantes comerciais de uso doméstico na redução da carga microbiana em alface (Lactuca sativa) crespa in natura https://visaemdebate.incqs.fiocruz.br/index.php/visaemdebate/article/view/1258 <p align="justify"><strong>Introdução</strong>: Hortaliças folhosas cruas são possíveis fontes de contaminação microbiológica e precisam ser higienizadas antes do consumo. Os diferentes saneantes variam quanto à sua capacidade de redução de microrganismos, e o cloro, em suas diferentes formas, é amplamente utilizado em alimentos para este fim. <strong>Objetivo</strong>: Avaliar a eficácia de três diferentes tipos de saneantes comerciais de uso doméstico na redução de carga microbiana em alface crespa in natura de cultivo convencional. <strong>Método</strong>: Foram estudados cinco lotes de três diferentes saneantes comerciais à base de cloro utilizados para sanitização de alface; avaliada a sua concentração de cloro livre e pesquisados coliformes termotolerantes e Salmonella spp. nas amostras de alface após a sanitização. <strong>Resultados</strong>: Apenas um dos saneantes avaliados obteve concentração de cloro livre entre 100 e 200 ppm. Todas as amostras de alface apresentaram ausência de Salmonella sp./25 g e 60% delas não tiveram redução de coliformes a 45ºC a níveis aceitáveis para que o produto estivesse próprio para o consumo. <strong>Conclusões</strong>: Os produtos testados não foram eficazes para reduzir a carga microbiana da alface a níveis seguros, o que pode estar colocando em risco a saúde do consumidor. Contudo, mais estudos são necessários para elucidar questões relativas ao processo de higienização de alimentos.</p> Isabela Pais de Souza, Nathália Ferreira Baptista, Rebeca Melgaço de Assis, Roberta Fontanive Miyahira, Renata Rangel Guimarães ##submission.copyrightStatement## https://creativecommons.org/licenses/by/3.0/deed.pt_BR https://visaemdebate.incqs.fiocruz.br/index.php/visaemdebate/article/view/1258 Sex, 31 Mai 2019 00:00:00 -0300 Avaliação microbiológica de cuias para chimarrão: estratégia para prevenção da saúde https://visaemdebate.incqs.fiocruz.br/index.php/visaemdebate/article/view/1182 <p align="justify"><strong>Introdução</strong>: A cuia utilizada para consumo do chimarrão pode ser um meio propício para a proliferação de microrganismos, o que pode comprometer a saúde de seus consumidores. <strong>Objetivo</strong>: Analisar a presença de contaminação microbiológica nas cuias utilizadas para o chimarrão, e a eficácia do uso de um secador nas cuias. <strong>Método</strong>: Foram utilizadas 12 cuias usadas e 12 novas, as quais foram divididas em grupos de secagem com secador e ao natural. Todas permaneceram 14 h por dia com a infusão. Foram adicionados 3 mL de <em>Brain Heart Infusion</em> (BHI) em cada cuia, coletados, incubados por 24 h a 37°C e, então, 1 mL semeado em triplicata nos meios Sabourand e <em>Plate Count Agar</em> (PCA). Esta metodologia analítica foi usada nos dias: 0, 15 e 30. <strong>Resultados</strong>: O crescimento fúngico, avaliado pelo meio de Sabourand, foi estatisticamente diferente entre as cuias novas no Dia 01 (p = 0,004), no PCA houve diferença no Dia 01 (p = 0,004) e Dia 15 (p = 0,046) entre as cuias novas e no Dia 30 (p = 0,004) para as usadas. <strong>Conclusões</strong>: Ocorreram contaminações no material analisado, o que pode representar um risco para a saúde de seus consumidores, e o uso do secador não foi efetivo para evitar o crescimento de fungos e leveduras.</p> João Vinicius Müller Kaufmann, Keli Luana Maldaner, Marilei Uecker Pletsch, Christiane Fátima Colet ##submission.copyrightStatement## https://creativecommons.org/licenses/by/3.0/deed.pt_BR https://visaemdebate.incqs.fiocruz.br/index.php/visaemdebate/article/view/1182 Sex, 31 Mai 2019 00:00:00 -0300 Eficiência de um filtro de remediação (TEVAP) na remoção de poluentes em efluentes suínos https://visaemdebate.incqs.fiocruz.br/index.php/visaemdebate/article/view/1226 <p align="justify"><strong>Introdução</strong>: A suinocultura é uma atividade de rápido crescimento, de relevância socioeconômica e potencial poluidor, cuja expansão sustentável depende de alternativas tecnológicas que minimizem o impacto ambiental, como técnicas e operações de remediação de áreas, a fim de evitar a contaminação ambiental potencial e danos à saúde humana. <strong>Objetivo</strong>: Avaliar os parâmetros físico-químicos de amostras de efluentes, através de um filtro de evapotranspiração (TEVAP) para dejetos suínos. <strong>Método</strong>: Foram investigados os aspectos físico-químicos e microbiológicos, antes (controle: efluente bruto) e após o tratamento, no 10º dia (efluente tratado) e no 40º dia (efluente final). <strong>Resultados</strong>: O potencial hidrogeniônico (pH) não exibiu alteração. Houve redução de substâncias químicas (demanda química de oxigênio (DQO), nitrogênio amoniacal, cloretos), sólidos dissolvidos totais, temperatura, alcalinidade, condutividade elétrica, dureza total e coliformes termotolerantes paras os efluentes tratado e final. Verificou-se aumento do oxigênio dissolvido (OD). A eficiência do sistema com relação à DQO, para o efluente tratado foi de 40% e, para o efluente final, foi de 98%. <strong>Conclusões</strong>: Os resultados químicos e microbiológicos indicam que o efluente tratado, pode ser reutilizado para limpeza de instalações de suínos. O baixo custo do TEVAP aliado à eficiência na remoção de carga orgânica podem possibilitar a mitigação de impactos negativos ao meio ambiente e à saúde.</p> João Bosco Belchior Vilar, Vagner Sales dos Santos, Antônia Eliene Duarte, Argemiro Sanavria ##submission.copyrightStatement## https://creativecommons.org/licenses/by/3.0/deed.pt_BR https://visaemdebate.incqs.fiocruz.br/index.php/visaemdebate/article/view/1226 Qui, 11 Jul 2019 14:24:14 -0300 Avaliação da concentração de nitrato em águas subterrâneas de poços das regiões de Assis e Marília, São Paulo https://visaemdebate.incqs.fiocruz.br/index.php/visaemdebate/article/view/1290 <p align="justify"><strong>Introdução</strong>: A água é um recurso natural de importância vital a todos os seres vivos, mas, quando está poluída, pode ser a causa de várias doenças. Uma grande variedade de substâncias contaminantes tem sido encontrada nas águas subterrâneas e o nitrato é o poluente de ocorrência mais frequente. <strong>Objetivo</strong>: O objetivo deste trabalho foi determinar a concentração de nitrato em amostras de água de poços de sistemas de abastecimento público e soluções alternativas coletivas de 22 municípios das regiões e Marília e Assis, São Paulo. <strong>Método</strong>: Foram coletadas 157 amostras de água de poços cadastrados nas Vigilâncias Sanitárias municipais e as análises foram realizadas pelo método espectrofotométrico na região Ultravioleta (UV), segundo métodos físicoquímicos para análise de alimentos do Instituto Adolfo Lutz. <strong>Resultados</strong>: Do total de 157 amostras analisadas, estavam de acordo com a legislação vigente 141 amostras (89,8%) e em desacordo 16 amostras (10,2%). <strong>Conclusões</strong>: Conclui-se, com os resultados deste estudo, que a análise de nitrato é de extrema importância para avaliar os riscos à saúde humana e ao ambiente. Sugere-se o monitoramento anual dos poços que apresentaram concentrações de nitrato entre 5 e 10 mg/L e a promoção de políticas públicas que garantam à população o acesso à água em conformidade com os padrões legais vigentes.</p> Rosângela Aguilar da Silva, Roberto Costa Santos, Luci Ochi Ferreira ##submission.copyrightStatement## https://creativecommons.org/licenses/by/3.0/deed.pt_BR https://visaemdebate.incqs.fiocruz.br/index.php/visaemdebate/article/view/1290 Sex, 31 Mai 2019 00:00:00 -0300