Human cardiomyocytes for drug discovery

  • Diogo Gonçalves Biagi PluriCell Biotech
  • Jéssica Gonçalves PluriCell Biotech
  • Estela Cruvinel PluriCell Biotech
  • Renata Damiani Biosintesis Laboratory
  • Flavia Valgode Biosintesis Laboratory
  • Fabiana Medeiros Biosintesis Laboratory
  • Camila G Moreira Centro de Inovação e Ensaios pré-Clínicos (CIEnP)
  • Evelyn Santos Centro de Inovação e Ensaios pré-Clínicos (CIEnP)
  • Rodrigo Marcon Centro de Inovação e Ensaios pré-Clínicos (CIEnP)
  • Calixto João Centro de Inovação e Ensaios pré-Clínicos (CIEnP)
  • Gabriela Venturini Heart Institute (InCor), University of São Paulo Medical School
  • Alexandre Pereira Heart Institute (InCor), University of São Paulo Medical School
  • Éden Ferreira Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo
  • Renato Mortara Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo
  • Marcos C Valadares PluriCell Biotech
Palavras-chave: Cardiomiócitos Humanos, Descoberta de Drogas, Doxorrubicina, Substituição de Animais

Resumo

TÍTULO PT: Cardiomiócitos humanos para descoberta de drogas

Introdução: A descoberta de novas drogas para doenças cardíacas é baseada em métodos antigos que usam animais, células de animais ou células modificadas que não representam fielmente fenótipos cardíacos humanos. Objetivo: Neste trabalho, temos o objetivo de mostrar que cardiomiócitos derivados de células iPS humanas representam uma nova ferramenta para a descoberta de drogas cardíacas e poderiam ajudar na diminuição do uso de animais na pesquisa. Método: Geração de cardiomiócitos derivados de células iPS e seus usos para avaliação de toxicidade cardíaca e infecção por Trypanosoma cruzi para descoberta de drogas. Resultados: Definição de um protocolo robusto de reprogramação, manutenção e diferenciação de células iPS. Diferenciação de células iPS em cardiomiócitos com alta pureza que apresentam toxicidade a diferentes doses de doxorrubicina foram suscetíveis a infecção com T. cruzi. Conclusões: Cardiomiócitos humanos derivados de células iPS podem ser uma potente ferramenta para descoberta de novas drogas e podem substituir diversos ensaios
feitos em animais ajudando a diminuir o uso de animais em pesquisa.

Publicado
2018-02-28
Como Citar
Biagi, D., Gonçalves, J., Cruvinel, E., Damiani, R., Valgode, F., Medeiros, F., Moreira, C., Santos, E., Marcon, R., João, C., Venturini, G., Pereira, A., Ferreira, Éden, Mortara, R., & Valadares, M. (2018). Human cardiomyocytes for drug discovery. Vigilância Sanitária Em Debate: Sociedade, Ciência & Tecnologia, 6(1), 32-40. https://doi.org/10.22239/2317-269x.01049