Avaliação microbiológica da água utilizada nos serviços de hemodiálise na cidade do Rio de Janeiro nos anos 2016 a 2018

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22239/2317-269X.01252

Palavras-chave:

Hemodiálise, Avaliação Microbiológica, Pseudomonas aeruginosa, Qualidade

Resumo

Introdução: A qualidade da água nos serviços de hemodiálise é fundamental para evitar riscos à saúde de pacientes com insuficiência renal. Objetivo: Monitorar a qualidade microbiológica de amostras de água tratada de serviços de hemodiálise, na cidade do Rio de Janeiro. Foram coletadas 480 amostras para análise microbiológica (cinco pontos de coleta) e 192 para pesquisa de endotoxinas (dois pontos) nas inspeções de 96 clínicas de hemodiálise, entre 2016 e 2018, pela Vigilância Sanitária do município do Rio de Janeiro. Método: Metodologias descritas na Farmacopeia Brasileira, na RDC nº 11/2014 e na Portaria de Consolidação nº 5/2017. Resultados: Vinte por cento de amostras do ensaio microbiológico apresentaram número elevado de bactérias aeróbias (> 100 UFC/mL) e 24% das amostras da análise de endotoxinas (LAL) apresentaram valores acima do preconizado (> 0,25 EU/mL). Setenta e oito por cento das clínicas (75/96) foram insatisfatórias, 41 por apresentarem alta contagem de bactérias heterotróficas e 34 pela detecção de endotoxinas pelo LAL. Foram identificados 563 isolados por testes bioquímicos confirmatórios, Pseudomonas aeruginosa (35,5%), Burlkolderia cepacia (21,3%), Stenotrophonomas maltophilia, (19,1%), Acinetobacter baumannii (15,1%) e Ralstonia pickettii (9,0%). Conclusões: Nossos resultados nos permitem concluir que o monitoramento sistemático da qualidade da água nos serviços de hemodiálise é essencial para proporcionar segurança e evitar agravos à saúde de pacientes.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Priscila Rodrigues de Jesus, Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde, Fundação Oswaldo Cruz (INCQS/Fiocruz), Rio de Janeiro, RJ

    Nutricionista pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ, apta a atuar nas grandes áreas da Nutrição: Clínica, Saúde Coletiva, Alimentação Coletiva, Ciência de Alimentos; Sanitarista pela ENSP/FIOCRUZ; Especialista em Vigilância Sanitária pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde/ FIOCRUZ; Cursando Especialização em Gestão da Segurança de Alimentos e Qualidade Nutricional, Especialização em Nutrição clínica aplicada a Infectologia e Mestrado em Vigilância Sanitária; Técnica em Análises Clinicas pela rede FAETEC.

  • Juliana dos Santos Carmo, Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde, Fundação Oswaldo Cruz (INCQS/Fiocruz), Rio de Janeiro, RJ

    Farmaceutica pela UFRJ. Residente em vigilância Sanitária no INCQS/FIOCRUZ.

  • Joana Angelica Barbosa Ferreira, Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde, Fundação Oswaldo Cruz (INCQS/Fiocruz), Rio de Janeiro, RJ

    Doutora em Vigilância Sanitária. Atualmente é coordenadora do Núcleo Técnico Artigos e Insumos de Diálise e coordenadora e professora do Curso de Capacitação em Coleta de Água para Hemodiálise e Curso de Atualização em Microbiologia de Fármacos, Fitofármacos, Cosméticos, Artigos e Insumos de Diálise da Pós-graduação do Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde da Fundação Oswaldo Cruz e tecnologista senior-h1 do Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde da Fundação Oswaldo Cruz. Tem experiência na área de Microbiologia, com ênfase em Microbiologia de Produtos, atuando principalmente nos seguintes temas: microbiologia de matérias-primas, água de hemodiálise, medicamentos, cosméticos, artigos e insumos de saúde.

     

Publicado

2019-02-28

Edição

Seção

Artigo

Como Citar

Avaliação microbiológica da água utilizada nos serviços de hemodiálise na cidade do Rio de Janeiro nos anos 2016 a 2018. (2019). Vigilância Sanitária Em Debate , 7(1), 53-59. https://doi.org/10.22239/2317-269X.01252

Artigos Semelhantes

1-10 de 432

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.