Implantação de dois modelos de programas computacionais para vigilância e detecção de erros em prescrições na produção de nutrição parenteral em uma farmácia de manipulação especializada

Palavras-chave: Prescrição Eletrônica, Produção, Nutrição Parenteral, Alerta

Resumo

Introdução: Os erros envolvendo a prescrição de medicamentos são frequentes na área da saúde, causando eventos adversos em pacientes hospitalizados e perdas econômicas no processo produtivo. A verificação das prescrições possui grande importância na vigilância e prevenção de erros, que devem ser elaboradas de forma completa e legível. Objetivo: Analisar os resultados da implantação de dois programas computacionais: o Microsoft® Excel para Mac Versão 15.27, para elaboração de prescrição eletrônica, disponibilizada para o médico prescritor, e o Enterprise Resource Planning, para os alertas de erros na linha de produção de nutrições parenterais, no período de 2006 a 2015. Método: Estudo de caso, realizado por meio de um levantamento longitudinal de dados primários, de natureza exploratória e descritiva, com observação participante na implantação dos programas computacionais em uma farmácia de manipulação especializada. Resultados: No ano de 2015, 39,5% das prescrições foram enviadas por meio de fax ou e-mail, porém para tais prescrições recebidas o número de Ocorrências de Erros Potenciais (OEP) foi de 97,9%. Conclusões: O programa computacional de produção demonstrou ser uma importante ferramenta de qualidade, principalmente na produção de NP para recém-nascidos, visto que identificou a prevalência de alertas de erros em prescrições, na proporção de 1,7 alerta para cada prescrição elaborada.

Biografia do Autor

Deivid Nogueira Rafael, Universidade Nove de Julho (UNINOVE), São Paulo, SP, Brasil

Mestre em Administração e Engenheiro com experiência em indústrias de ciências da vida nos departamentos de Validação atuando com qualificação de equipamentos, utilidades e sistemas e Engenharia e Manutenção, atuando nas áreas de instrumentação, automação industrial e planejamento.

Simone Aquino, Universidade Nove de Julho (UNINOVE), São Paulo, SP, Brasil

Médica veterinária sanitarista pela FSP-USP, especialista em VISA. Mestrado e Doutorado pelo IPEN USP. Professora doutora do Programa de Mestrado Profissional em Administração da UNINOVE em Gestão de Saúde e Gestão Ambiental.

Referências

Raimbault M, Thibault M, Lebel D, Bussières JF. Automated Compounding of Parenteral Nutrition for Pediatric Patients: Characterization of Workload and Costs. J Pediatr Pharmacol Ther 2012; 17(4): 389–394.

Gimenes FRE, Mota MLS, Teixeira TCA, Silva AEBC, Opitz SP et al. Segurança do paciente na terapêutica medicamentosa e a influência da prescrição médica nos erros de dose. Rev Lat Am Enfermagem 2010; 18(6): 1055-1061.

Pazin-Filho A, Frezza G, Matsuno AK, Alcântara ST, Cassiolato S, et al. Princípios de prescrição médica hospitalar para estudantes de medicina. Medicina (Ribeirão Preto. Online) 2013; 46(2): 183-194.

Ansel HC, Stoklosa JM. Cálculos farmacêuticos. 12ª ed. Porto Alegre: Artmed; 2008.

Ferreira IKC. Terapia nutricional em unidade de terapia intensiva. Rev Bras Terap Intens 2007;19(1): 90-97.

Sousa JBG, Sousa BG, Moreira AR, Lisboa AR, Lira DLF. Análise farmacêutica das prescrições médicas da unidade de terapia intensiva (UTI) do hospital regional de Cajazeiras–PB. Rev FAMA Cienc Saúde 2015; 1(2): 1-10.

Nolan TW. System changes to improve patient safety. BMJ Careers 2000; 320: 771–773.

Volpe CRG, Melo EMM, Aguiar LB, Pinho DLM, Stival MM. Fatores de risco para erros de medicação na prescrição eletrônica e manual. Rev Latino-Am Enferm, 2016; 24: e2742.

Cassiani SHB. Erros na Medicação: Estratégias de prevenção. Rev Bras Enferm 2000; 53(3): 424-430.

Cassiani SHB, Freire CC, Gimenes FRE. A prescrição médica eletrônica em um hospital universitário: falhas de redação e opiniões de usuários. Rev Esc Enferm USP 2003; 37(4): 51-60.

Creswell JW, Clark VLP. Designing and conducting mixed methods research. 2a ed. Los Angeles: SAGE Publications; 2011.

Almeida M. Curso essencial de lógica de programação. São Paulo: Digerati Books; 2008.

Secretária de Estado da Saúde. Manual de Neonatologia, 2015. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/3905402/mod_resource/content/1/manual_de_neonatologia.pdf. [2018 Ago 28]. [Internet].

Bouchoud L, Sadeghipour F, Klingmüller M, Fonzo-Christe C, Bonnabry P. Long-term physico-chemical stability of standard parenteral nutritions for neonates. Clin Nutr 2010; 29(6): 808-812.

Koletzko B, Goulet O, Hunt J. et al. Guidelines on Paediatric Parenteral Nutrition of the European Society of Paediatric Gastroenterology, Hepatology and Nutrition (ESPGHAN) and the European Society for Clinical Nutrition and Metabolism (ESPEN), Supported by the European Society of Paediatric Research (ESPR). J Pediatr Gastroenterol Nutr 2005; 41(Suppl 2): S1-S87.

Pinochet LHC. Tendências de tecnologia de informação na gestão da saúde. Mundo da Saúde, 2011; 35(4): 382-394.

Marin HF. Sistemas de informação em saúde: considerações gerais. J Health Inform 2010; 2 (1): 20-24.

Braúna CC, Freitas RM. Revisão integrativa sobre o uso de sistemas informatizados na prática da atenção farmacêutica. Rev Eletr Farm, 2014; Xi(1): 35-47.

Devine EB, Williams EC, Martin DP, Sittig DF, Tarczy-Hornoch P, et al. Prescriber and staff perceptions of an electronic prescribing system in primary care: a qualitative assessment. BMC Med Inform Decis Mak 2010; 10(1):10-72.

Karlsson J. Managing software requirements using quality function deployment. Soft Qual Journal 1997; 6(4):311-325.

Kaushal R, Bates DW, Landrigan C, McKenna KJ, Clapp MD, et al. Medication errors and adverse drug events in pediatric inpatients. JAMA, 2001; 285(16):2114-2120.

Baudouin A, Diouf E, Tall ML et al. Advantages and special features of hospital preparations of parenteral nutrition in neonatalogy. Ann Pharm Fr, 2015; 73(2): 150-159.

Lewis PJ, Dornan T, Taylor; D, Tully MP, Wass V, et al. Prevalence, incidence and nature of prescribing errors in hospital inpatients. Drug Safety, 2009; 32(5): 379-389.

Cardoso AM. Implantação de prescrição eletrônica a fim de otimizar a dispensação de medicamentos. Rev. Bras. Farm. Hosp. Serv. Saúde São Paulo, 2013; 4 (4) 39-45.

Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação. Panorama setorial da Internet. TIC no setor de Saúde: disponibilidade e uso das tecnologias de informação e comunicação em estabelecimentos de saúde brasileiros. Tecnol Saúde, 2014; 6 (1): 1-10.

Silva ISA, Marques IR. Conhecimento e barreiras na utilização dos recursos da Tecnologia da Informação e Comunicação por docentes de enfermagem. J Health Inform, 2011; 3(1): 3-8.

Bates DW. Using information technology to reduce rates of medication errors in hospitals. BMJ, 2000; 320:788-791.

McDonald, CJ. Computerization can create safety hazards: a barcoding near miss. Ann Intern Med, 2006; 144 (7): 510-516.

Ministério da Saúde - MS, Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa, Fundação Oswaldo Cruz - Fiocruz e Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais - FHEMIG. 2013 [acesso 2 dez 2018]. Protocolo de segurança na prescrição, uso e administração de medicamentos. Anexo 03. Disponível em: file:///C:/Users/Simone/Downloads/protoc_identificacaoPaciente.pdf.

Rosa, MB, Perini, E., Anacleto, TA, Neiva, HM, Bogutchi, T. Erros na prescrição hospitalar de medicamentos potencialmente perigosos. Rev Saúde Pública 2009; 43(3): 490-498.

Publicado
2019-06-03
Como Citar
Rafael, D., & Aquino, S. (2019). Implantação de dois modelos de programas computacionais para vigilância e detecção de erros em prescrições na produção de nutrição parenteral em uma farmácia de manipulação especializada. Vigilância Sanitária Em Debate: Sociedade, Ciência & Tecnologia, 7(2), 9-17. https://doi.org/10.22239/2317-269x.01264
Seção
Artigo