Modelos e iniciativas de biovigilância e transplante: uma revisão narrativa

Palavras-chave: Biovigilância, Obtenção de Tecidos e Órgãos, Transplante, Segurança do Paciente

Resumo

Introdução: A biovigilância apresenta nova oportunidade de melhoria e segurança do processo doação-transplante. A biovigilância é definida como o monitoramento e o controle durante os procedimentos que envolvem células, tecidos e órgãos humanos desde a doação até a evolução clínica do receptor e do doador vivo, com o objetivo de obter e disponibilizar informações sobre riscos e eventos adversos, a fim de prevenir sua ocorrência ou recorrência. Objetivo: Descrever acerca de modelos e iniciativas de biovigilância e transplante no Brasil e no mundo. Método: Revisão narrativa da literatura nacional e internacional. Resultados: O risco está presente em todas as etapas que envolvem a doação-transplante, e implica vigilância contínua. As iniciativas de biovigilância no mundo envolvem instituições como a Organização Mundial da Saúde e o Centro Nacional de Transplantes da Itália, que apoiam o compartilhamento de informações de vigilância publicadas para fins de ensino e para maior transparência pública e que, em conjunto com Estados-membros da União Europeia, têm o objetivo de apoiar o desenvolvimento e o
fortalecimento da capacidade de monitorar e controlar a qualidade, a segurança e a eficácia nessa área. O governo australiano possui uma iniciativa que coleta informações sobre eventos adversos graves e reações relacionadas à doação e ao transplante de órgãos, mas ainda não possui um sistema de vigilância integrado. O Brasil, por meio da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, possui acompanhamento da análise eventos adversos, mas os seus bancos de dados, precisam ser integrados àqueles do Sistema Nacional de Transplantes. Conclusões: É premente realizar esforço nacional para atender as inciativas internacionais com a Organização Mundial de Saúde e, assim, incorporar medidas para implementar uma cultura de qualidade e segurança no processo doação-transplante com uma modelagem assistencial inovadora, e devolver à sociedade o alto investimento realizado de modo eficiente e eficaz.

Biografia do Autor

Bartira de Aguiar Roza, Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), São Paulo, SP

Profª Associada da Escola Paulista de Enfermagem da Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP. Fez, graduação, residência em enfermagem cirúrgica. Possui mestrado e doutorado pela UNIFESP. Orientadora do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da UNIFESP. Líder do Grupo de Estudos em Doação e Transplante de Órgãos e Tecidos - GEDOTT. Tem experiência na área de Enfermagem Clínica e Cirúrgica, com ênfase em Doação e Transplante de Órgãos e Tecidos. Editora Associada da Revista Acta Paulista de Enfermagem EPE - Unifesp. Membro do European Transplant Coordinator Organization (ETCO). Membro do ITNS - International Transplant Nursing Society. Membro titular da Comissão Permanente de Biovigilância da ANVISA. Diário Oficial da União ? DOU de 24/01/2019, seção 2 - Portaria n° 219, de 22 de Janeiro de 2019. Em 2018 inicia a coordenação do Projeto BRA/10/008 - PLANO DE COMUNICAÇÃO DO PROCESSO DE VIGILÂNCIA DO USO DOS ÓRGÃOS, TECIDOS E CÉLULAS HUMANAS PARA TRANSPLANTE NO BRASIL, com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) no Brasil e representantes do Ministério da Saúde, ANVISA.

Denise Miyuki Kusahara, Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), São Paulo, SP

Possui graduação em Enfermagem pela Universidade Federal de São Paulo (2001). É Especialista em Enfermagem em Cuidados Intensivos Pediátricos, Mestre e Doutora em Ciências pela UNIFESP. Atualmente é Professora Adjunto do Departamento de Enfermagem Pediátrica da Escola Paulista de Enfermagem da Unifesp e orientadora do Programa de Pós-graduação em Enfermagem da Unifesp. Pesquisador) do Grupo de Pesquisa CNPq - SEGTEC ? Segurança, Tecnologia e Cuidado ? Grupo de Estudos e Pesquisas de Enfermagem em Segurança do Paciente, Cuidados Intensivos Pediátricos e Terapia Intravascular e Medicamentosa. Tem experiência na área de Enfermagem Pediátrica, com ênfase em Enfermagem em Cuidados Intensivos Pediátricos

João Luís Erbs Pessoa, Secretaria Estadual da Saúde do Estado de São Paulo (SES/SP), São Paulo, SP

Possui graduação em Enfermagem pelo Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unidas (2007). Pós-graduação Lato Sensu em Captação, Doação e Transplante de Órgãos e Tecidos pelo Instituto de Ensino e Pesquisa Albert Einstein (2009). Mestrado pela Universidade Federal de São Paulo (2013). Doutorado pela Universidade Federal de São Paulo (2016). Atualmente atua na Central de Notificação Captação e Distribuição de Órgãos do Estado de São Paulo, como Diretor Técnico. Membro Titular da Câmara Técnica Nacional de Transplante de Captação e Doação de Órgãos, Tecidos, Células e Partes do Corpo. Membro da Comissão Permanente de Biovigilância da ANVISA. Membro do Grupo de Estudo em Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (GEDOTT). Membro da Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO).Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Enfermagem em Emergência, Doação e Transplante.

Patrícia Treviso, Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), São Paulo, SP

DOUTORADO em Ciências da Saúde - Linha de Pesquisa Formação e Desenvolvimento Docente na Saúde - PUCRS (2015). Graduada em Enfermagem pela UFRGSl (2000), Especialização em Enfermagem Cirúrgica - ULBRA (2003) e MBA em Gestão Empresarial - IBGEN (2009), Mestrado em Ciências da Saúde - PUCRS (2009). Master Internacional en Donación y Trasplante de Órganos, Tejidos y Células -ONT Espanha (2009). Está realizando MBA em Gestão do Ensino Superior na UCS (início agosto 2017). Membro do Grupo de Estudos em Doação e Transplante de Órgãos e Tecidos ? GEDOTT da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Membro pesquisador do Projeto PNUD/BRA/10/008 - PLANO DE COMUNICAÇÃO DO PROCESSO DE VIGILÂNCIA DO USO DOS ÓRGÃOS, TECIDOS E CÉLULAS HUMANAS PARA TRANSPLANTE NO BRASIL (Trata-se de Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) no Brasil e Ministério da Saúde, ANVISA). Atuou na área assistencial e administrativa em instituições hospitalares durante 12 anos e atualmente. Coordenou o Curso de Graduação em Enfermagem do Centro Universitário Metodista IPA (2016), atualmente é Coordenadora de Graduação do Centro Universitário Metodista IPA (IPA), e docente do curso de graduação em Enfermagem (IPA). Membro do Comitê de Ética em Pesquisa (IPA) (desde 2014). Membro do Conselho Universitário (CONSUNI) (IPA). Presidente da Câmara de Ensino (IPA). Integrou o Núcleo de Formação Docente (IPA) (2015 - 2016). Membro do Departamento de Enfermagem da ABTO (Associação Brasileira de Transplante de Órgãos). Secretária Geral da ABEn (Associação Brasileira de Enfermagem) seção RS. Membro associado da Sociedade Brasileira de Enfermagem em Centro Cirúrgico, Sala de Recuperação Pós-Anestésica e Centro de Materiais (SOBECC), Membro do Conselho Editorial da SOBECC, Membro da The Association of periOperative Registered Nurses (AORN). Integrou a Rede Brasileira de Segurança do Paciente/RS (REBRAENSP) (2013 - 2015). Tem experiência na área da Enfermagem e na área da Educação.

Priscilla Caroliny de Oliveira, Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), São Paulo, SP

Graduação em Enfermagem na Universidade Federal de São Paulo - Escola Paulista de Enfermagem (UNIFESP/EPE). Pós-graduação na modalidade residência multiprofissional em Transplante e Captação de Órgãos na UNIFESP. Mestre e Doutora em Ciências da Saúde, área Enfermagem, na UNIFESP/EPE. Membro do Grupo de Estudo em Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (GEDOTT). Membro da Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO). Revisora da Revista Acta Paulista de Enfermagem. Tutora do Programa de Residência Multiprofissional em Doação e Transplante de Órgãos e Tecidos da UNIFESP. Docente em Cursos de Graduação em Saúde no Instituto Kroton/Anhanguera (Unidade Taboão da Serra-SP). Tem experiência na área de Enfermagem Médico-Cirúrgica, com ênfase no processo de cuidar do adulto com doenças agudas e crônico-degenerativas, atuando principalmente nos seguintes temas: transplante de fígado, transplante de órgãos sólidos, doação de órgãos, enfermagem perioperatória, prática baseada em evidências, educação em saúde, adesão ao tratamento, comportamento em saúde.

Renata Fabiana Leite, Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), São Paulo, SP

Graduada em Enfermagem pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) e Pós Graduação em Doação e Transplante de Órgãos e Implante de Tecidos (UNIFESP), Pós Graduação em Nefrologia (UNIFESP), Mestre em Ciências da Saúde pela Escola Paulista de Enfermagem (UNIFESP). Fez carreira no Hospital São Paulo/UNIFESP, como assistencial nas áreas de Doenças Infecciosas da Pediatria (DIPE), Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica e Unidade de Transplante Renal (adulto/pediátrico). Pertenceu ao Grupo de Assessoria da Diretoria do Hospital São Paulo (UNIFESP/ HSP) tendo área de atuação o transplante renal .Compôs a primeira equipe assistencial do Hospital do Rim chegando até a Supervisão das alas de internação (pré transplante, pós transplante de rim adulto/ pediátrico e de rim pâncreas adulto).Coordenadora de Enfermagem do Ambulatório de Pós Transplante Renal (UNIFESP/HRim) onde 6610 pacientes transplantados (coração/rim, fígado/rim, rim, rim/pâncreas) encontravam-se em acompanhamento (RBT ABTO 2012). Professora assistente do Curso de Pós Graduação em Captação, Doação e Transplante de órgãos e implante de tecido (UNIFESP) e do no curso de Doação, Captação e Transplante de órgãos (Hospital Israelita Albert Einstein - HIAE) nos anos 2014 à 2017. Professora convidada curso de MBA em Saúde pela Faculdade de Medicina ABC (2017).Tem experiência na área assistencial, administrativa, coordenação,consultoria e assessoria em serviços de Enfermagem, com ênfase em Doação e Transplante de Órgãos e Tecidos. Membro do Grupo de Estudo em Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (GEDOTT) da UNIFESP. Membro da Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO) gestão 2018-2019, responsável pelas campanhas de Doação de órgãos e tecidos ABTO nos anos de 2014 e 2015. Membro efetiva do Grupo de Atenção ao Transplantado (GAT) da ABTO. Assessoria Administrativa, Financeira e Assistencial na área de Doação de Órgãos e Tecidos. Revisora do Jornal Brasileiro de Transplantes ( JBT). Coordenadora do Projeto Doação 360 com objetivo principal capacitação de profissionais da área de saúde, graduandos, residentes e educação da comunidade sobre o Processo de Doação e Transplante de Órgãos e Tecidos.

Tadeu Thomé, Hospital Sírio-Libanês, São Paulo, SP

Completou sua graduação em Enfermagem (bacharelado e licenciatura) na PUC-SP, em 1999, após ter exercido, desde 1990, a profissão de técnico de patologia clínica nas áreas de hematologia, imunologia e hormônios e de técnico enucleador, por 3 anos, no Banco de Olhos de Sorocaba-SP. Nesta última, teve a oportunidade de iniciar suas atividades na área da transplantação, atuando na captação, avaliação e preservação de tecidos oculares humanos para transplante. Atuou na área assistencial em unidades de pacientes críticos e, em 2002, com o início das atividades de transplante de órgãos em Sorocaba foi designado como o coordenador do Centro de Transplantes do Hospital Unimed Sorocaba, onde cooperou na criação e organização deste centro e participou efetivamente dos primeiros transplantes de fígado e coração da cidade. Em 2003, realizou o curso Intensivo de Doação de Órgãos e Tecidos pela Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO) e Sistema Nacional de Transplantes (SNT) / MS e, desde então, vem atuando na área da doação e transplante de órgãos. Até 2006 atuou na gestão administrativo-financeira do programa de transplantes, na perfusão, acondicionamento e transporte de enxertos hepáticos e cardíacos para transplante e participou da Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (CIHDOTT) viabilizando doadores de órgãos. Em 2006, foi professor assistente na PUC-SP e, em 2007, foi convidado a participar da gestão do Programa Integrado de Transplantes de Órgãos no Hospital Israelita Albert Einstein (1.416 transplantes). Após 2 anos foi promovido a Coordenador de Projetos e, concomitante a essas atividades, coordenou e foi docente do curso de simulação realística em doação de órgãos (1.162 alunos), do curso teórico-prático em cirurgia de extração, perfusão, acondicionamento e implante de múltiplos órgãos (373 alunos), de 4 Encontros Nacionais das CIHDOTTs (770 participantes), do projeto de Coordenação Hospitalar de Transplantes (NCAP) e do curso de pós-graduação lato sensu em ?Doação e Transplante de Órgãos e Tecidos? por 6 anos (194 alunos). Em 2010, realizou MBA Executivo em Gestão em Saúde (INSPER) com extensão internacional na Filadélfia (EUA), recebeu o V Prêmio Revista SAÚDE Abril, com trabalho em transplantes, e, em 2011, foi premiado na iniciativa ?Reconhecimento de Líderes? do Einstein. No final de 2012, foi convidado a participar, como sócio, da empresa BenHurMD®, onde atuou até Set/2014 como Diretor Administrativo. No mesmo mês foi selecionado como Consultor Técnico do SNT/MS onde atua até o momento. Participou da implantação e gestão do Programa de Transplante de Fígado no Hospital da Beneficência Portuguesa, onde foram realizados 96 transplantes. Desde 2008 é membro eleito do Depto de Coordenação em Transplantes da ABTO, sendo coordenador em 2010/2011. Neste biênio, foi docente dos cursos de capacitação, atingindo 2.130 alunos participantes em 14 unidades federativas do país. Foi reconhecido ?Parceiro da Vida? (2011) pela SES-RN pela atuação em capacitação no Estado. Participou de entrevistas de vários programas televisivos e de rádio falando sobre Doação e Transplante de Órgãos e Tecidos (Rádio CBN, canal RIT, TV Gazeta, Rede Record, Rede Vida e TV Aparecida). Seu último projeto foi a participação na produção do Tratado de Transplante de Órgãos e Tecidos (Atheneu - Editor Prof. Dr. Ben-Hur Ferraz Neto), como editor associado, coordenador de sessão (?Atendimento Multiprofissional ao Transplante?) e autor de 3 capítulos (?Financiamento dos Transplantes no Brasil?, ?Captação de Múltiplos Órgãos para Transplante? e ?Papel do Coordenador Intra-Hospitalar de Transplantes?). Em Out/2014 foi contratado pelo Hospital Sírio Libanês para coordenar o projeto filantrópico ?Escola de Transplantes? (Tx Fígado, Multivisceral, Coração e capacitações em doação e transplante). Conforme registrado, tem grande interesse na área de gestão de serviços de saúde de alta complexidade, ensino e pesquisa.

Maria Helena Costa Amorim, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Vitória, ES

Possui graduação em Enfermagem e Obstetrícia pela Universidade Federal do Espírito Santo (1983), especialização em Enfermagem Obstétrica (1984) e mestrado em Enfermagem pela Universidade Federal de São Paulo (1987). Doutorado em Enfermagem pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1998). Professora da Universidade Federal do Espírito Santo no período de (1991-2017). Professora Titular Visitante da Escola Paulista de Enfermagem-Unifesp (2019). Experiência na área de administração acadêmica de cursos de pós-graduação stricto-sensu de oferta regular. Foi Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal do Espírito Santo (2011-2016) e Coordenadora operacional do DINTER entre a EEAN-UFRJ e o DE-UFES (2013-2016). Tem experiência na área de Saúde da Mulher e Saúde Coletiva, atuando principalmente nos seguintes temas: tecnologias em saúde; câncer de mama, mulheres mastectomizadas, psiconeuroimunologia e enfermagem.

Janine Schirmer, Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), São Paulo, SP

Graduação em Enfermagem e Obstetrícia pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (1983). Mestrado em Enfermagem Obstétrica pela Universidade Federal de São Paulo (1989) e doutorado em Enfermagem Materno-Infantil pela Universidade Federal de São Paulo (1995). Atualmente é Professora Titular do Departamento de Enfermagem em Saúde da Mulher, Diretora da Escola Paulista de Enfermagem, Editora-Chefe da Revista Acta Paulista de Enfermagem e Vice Presidente do Conselho Gestor do Hospital Universitário da UNIFESP. Membro da Câmara Técnica Nacional de Ética e Pesquisa em Transplantes do Sistema Nacional de Transplantes - Ministério da Saúde. Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Enfermagem Obstétrica, Saúde da Mulher e Doação e Transplante de Órgãos e Tecidos, atuando principalmente nos seguintes temas: assistência gestação, parto e nascimento, atenção a saúde da mulher e, ainda pesquisa na área de política pública de saúde, ética/bioética e doação e transplante de órgãos e tecidos. Bolsista de Produtividade CNPq 2016.

Publicado
2019-11-26
Como Citar
Roza, B., Kusahara, D., Pessoa, J., Treviso, P., Oliveira, P., Leite, R., Thomé, T., Amorim, M. H., & Schirmer, J. (2019). Modelos e iniciativas de biovigilância e transplante: uma revisão narrativa. Vigilância Sanitária Em Debate: Sociedade, Ciência & Tecnologia, 7(4), 10-16. https://doi.org/10.22239/2317-269x.01403