One year of COVID-19 pandemic: Epidemiological characteristics of COVID-19 in the city of Uberaba, Minas Gerais, Brazil

Autores

  • Michelli Maldonado Departamento de Matemática, Instituto de Ciências Exatas, Naturais e Educação, Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), Uberaba, MG, Brasil Autor https://orcid.org/0000-0002-8822-5508
  • Ronaldo Junio de Oliveira Laboratório de Biofísica Teórica, Departamento de Física, Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), Uberaba, MG, Brasil Autor https://orcid.org/0000-0003-4860-309X
  • Mariangela Torreglosa Ruiz Cintra Departamento de Ciências Biológicas, Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), Uberaba, MG, Brasil Autor https://orcid.org/0000-0002-8223-805X

DOI:

https://doi.org/10.22239/2317-269x.01938

Palavras-chave:

COVID-19, Característica Epidemiológicas, Vigilância sanitária, Análise Estatística, Coronavírus, Administração em Saúde Pública

Resumo

TÍTULO PT: Um ano da pandemia de COVID-19: características epidemiológicas da COVID-19 na cidade de Uberaba, Minas Gerais, Brasil

Introdução: A pandemia do novo coronavírus (COVID-19) é inédita na história humana registrada. Espalhou-se de Wuhan, na China, no início de dezembro de 2019, cruzando todo o planeta e chegando à costa brasileira no mês de fevereiro seguinte. Foi declarada pandemia em 11 de março de 2020, com o primeiro caso registrado na cidade de Uberaba, estado de Minas Gerais, Brasil, em 18 de março de 2020. Desde então, estamos coletando dados e avaliando a evolução dessa fatalidade doença. Objetivo: Neste trabalho, relatamos as características epidemiológicas de um ano da COVID-19 em Uberaba e discutimos suas implicações para o público em geral. Método: Trata-se de um estudo observacional, descritivo, documental e retrospectivo para descrever o perfil epidemiológico dos casos de COVID-19 na cidade de Uberaba no período de 18 de março de 2020 até 17 de março de 2021. Resultados: O estudo mostra que a população jovem em idade ativa é a que mais espalha o vírus, no entanto, os idosos são os que mais sofrem e morrem, com pequenas diferenças em relação ao sexo. Isso está de acordo com os perfis epidemiológicos nacionais e internacionais relatados que mostram uma tendência de mudança das gerações mais jovens a serem cada vez mais ativas na evolução da pandemia. Observamos dois grandes picos nas duas séries temporais epidemiológicas, casos confirmados e óbitos, com média de idade de 41 anos para os casos confirmados e 68 para os óbitos confirmados. Também foi relatado que a taxa de letalidade foi de 2,45%, e 80,00% das mortes confirmadas sofriam de alguma condição de saúde anterior. Conclusões: Nesse sentido, uma vigilância epidemiológica permanente deve ocorrer para orientar as contramedidas de saúde pública. As características epidemiológicas da COVID-19 em Uberaba e análises relacionadas são relatadas no observatório online em https://coviduberaba.github.io.

 

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Michelli Maldonado, Departamento de Matemática, Instituto de Ciências Exatas, Naturais e Educação, Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), Uberaba, MG, Brasil

    Possui graduação em Bacharelado em Matemática Aplicada pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2008), mestrado em Matemática pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2011) e doutorado em Matemática pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2015). Atualmente é professora adjunta na Universidade Federal do Triângulo Mineiro. Tem experiência na área de Pesquisa Operacional, otimização combinatória, linear e inteira

  • Ronaldo Junio de Oliveira, Laboratório de Biofísica Teórica, Departamento de Física, Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), Uberaba, MG, Brasil

    Possui graduação em Física (Licenciatura) pela Universidade Estadual de Campinas (2004), mestrado (2007) e doutorado (2011) em Biofísica Molecular pela Universidade Estadual Paulista, com período sanduíche em State University of New York at Stony Brook. O Pós-Doutorado (2011-2013) foi realizado pelo Laboratório Nacional de Biorrenováveis (CTBE) do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), em Campinas. Atualmente é professor adjunto do Departamento de Física da Universidade Federal do Triângulo Mineiro. Tem experiência na área de Biofísica Molecular, atuando principalmente nos seguintes temas: energy landscape, simulação computacional, enovelamento de proteína e docking molecular.

  • Mariangela Torreglosa Ruiz Cintra, Departamento de Ciências Biológicas, Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), Uberaba, MG, Brasil

    Possui graduação em Licenciatura Em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1998) e mestrado em Genética pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2001) e doutorado em Ciências da Saúde da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (2008). Tem experiência na área de Genética, com ênfase em Genética Humana atuando principalmente nos seguintes temas: câncer de cabeça e pescoço, síndrome do ovário policístico, câncer colorretal, carcinoma hepatocelular, polimorfismos de nucleotídeos únicos (SNPs), biomarcadores em doenças humanas. Atualmente é Professor Associado II da Universidade Federal do Triângulo Mineiro, no curso de Licenciatura em Ciências Biológicas para as disciplinas de Genética e Biologia Molecular. Orientadora no Programa de Mestrado Profissional em Inovação Tecnológica UFTM e Coordenadora do Departamento de Ciências Biológicas - ICENE.

Publicado

2022-05-31

Edição

Seção

Artigo

Como Citar

One year of COVID-19 pandemic: Epidemiological characteristics of COVID-19 in the city of Uberaba, Minas Gerais, Brazil. (2022). Vigilância Sanitária Em Debate , 10(2), 23-32. https://doi.org/10.22239/2317-269x.01938

Artigos Semelhantes

1-10 de 652

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.