Dye detoxification by Lentinula edodes INCQS 40220

  • Ludmila R. Bergsten-Torralba Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde, Fundação Oswaldo Cruz (INCQS/Fiocruz), Rio de Janeiro, RJ
  • Helena P.S. Zamith Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde, Fundação Oswaldo Cruz (INCQS/Fiocruz), Rio de Janeiro, RJ
  • Taline Ramos Conde Fundação Oswaldo Cruz
  • Claudia A.F. Aiub Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), Rio de Janeiro, RJ
  • Israel Felzenszwalb Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Rio de Janeiro, RJ
  • Manuela da Silva Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde, Fundação Oswaldo Cruz (INCQS/Fiocruz), Rio de Janeiro, RJ
Palavras-chave: Descoloração, Fungos, Corantes Têxteis, Toxicidade, Genotoxicidade, Mutagenicidade

Resumo

Título PT: Detoxificação de corante por Lentinula edodes INCQS 40220

Lentinula edodes pertence ao grupo de fungos conhecidos como fungos ligninolíticos, devido a sua habilidade de degradar estruturas aromáticas da lignina. Corantes têxteis também possuem estruturas aromáticas e, após a degradação microbiana, alguns destes corantes podem ser transformados em compostos tóxicos quando comparados à estrutura original, representando risco à saúde ambiental e humana. Portanto, o potencial do fungo L. edodes INCQS 40220 para descolorir e detoxificar a mistura de vermelho reativo 198 (corante azo), azul reativo 214 (corante azo) e azul reativo 21 (corante ftalocianina de cobre) foi avaliada (MXD). Após 14 dias de incubação, foi obtida descoloração total em meio líquido. O tratamento fúngico de MXD não apresentou efeitos tóxicos em células sanguíneas humanas. A genotoxicidade de MXD, avaliada por meio do Ensaio Cometa, foi eficientemente reduzida para 61% e, no teste de Ames, apresentou resposta negativa à mutagenicidade para Salmonella enterica serovar Typhimurium TA97, TA98, TA100 e TA102 strains. Os resultados indicaram eficiência de L. edodes INCQS 40220 na descoloração e redução de genotoxicidade na mistura de diferentes corantes. Portanto, com base nos resultados obtidos em condições de laboratório, L. edodes INCQS 40220 tem potencial para o tratamento de efluente têxtil.

Biografia do Autor

Taline Ramos Conde, Fundação Oswaldo Cruz

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP) (1991), especialização em Micologia pelo International Mycological Institute-CABI, Inglaterra (1993), mestrado em Engenharia de Alimentos (Microbiologia) pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) (1996), doutorado em Ciência de Alimentos (Microbiologia) pela UNICAMP (2002) e parte pelo Food and Drug Administration National Center for Toxicological Research (FDA-NCTR), nos Estados Unidos (2000 e 2001). Em 2002 foi admitida na Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ) e atualmente é assessora da Vice-Presidência de Pesquisa e Laboratórios de Referência (VPPLR), coordenando as Coleções Biológicas da FIOCRUZ e trabalhando na estruturação do CRB-Saúde. Também é professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Vigilância Sanitária (INCQS/FIOCRUZ) desde 2003. Atualmente coordena a área de Coleções de Culturas da Sociedade Brasileira de Microbiologia (SBM), é membro do diretório executivo da World Federation of Culture Collection (WFCC), além de ser representante da Fiocruz na Câmara Técnica Permanente de Coleções Biológicas do MCTI/MMA e Conselheira Titular do Conselho de Gestão do Patrimônio Genético (CGEN/MMA). Tem experiência na área de Microbiologia, principalmente em taxonomia de fungos e biodegradação.

CV: http://lattes.cnpq.br/1048229426231783

Publicado
2016-02-29
Como Citar
Bergsten-Torralba, L., Zamith, H., Conde, T., Aiub, C., Felzenszwalb, I., & da Silva, M. (2016). Dye detoxification by Lentinula edodes INCQS 40220. Vigilância Sanitária Em Debate: Sociedade, Ciência & Tecnologia, 4(1), 92-99. https://doi.org/10.3395/2317-269x.00595
Seção
Artigo