Qualidade da água tratada: avaliação dos teores de flúor em 10 anos de heterocontrole no município de Lages, Santa Catarina, Brasil

Autores

  • Mirian Kuhnen Universidade do Planalto Catarinense (Uniplac), Lages, SC Autor
  • Bruno Gamba Universidade do Planalto Catarinense (Uniplac), Lages, SC Autor
  • Paulo Capel Narvai Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (FSP/USP), São Paulo, SP Autor
  • Ramona Fernanda Ceriotti Toassi Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS Autor

DOI:

https://doi.org/10.22239/2317-269X.00833

Palavras-chave:

Fluoretação da Água, Tratamento da Água, Controle da Qualidade da Água, Análise da Água, Abastecimento de Água, Monitoramento da Água, Vigilância Sanitária

Resumo

Fluoretação da água de abastecimento público é a adição de compostos de flúor nas estações de tratamento da água como uma das formas de prevenção da cárie dentária. Este estudo avaliou a situação da fluoretação das águas de abastecimento no município de Lages, Santa Catarina, sistematizando dados de 10 anos de heterocontrole (2004–2013). Mensalmente, em dias alternados, foram coletadas 67 amostras de água de 11 pontos de abastecimento, totalizando 737 amostras. Para a determinação da concentração de flúor nas amostras de água utilizou-se o método eletrométrico. Após análise, as amostras foram classificadas, segundo os critérios da Portaria nº 635/Bsd, de 26/12/1975 (adequadas ou inadequadas), e os critérios propostos pelo Centro Colaborador do Ministério da Saúde em Vigilância da Saúde Bucal (Cecol) da Universidade de São Paulo (benefícios e riscos à saúde da população). Das amostras analisadas, 58,6% apresentaram teores adequados de flúor e 51,1% máximo benefício e baixo risco apresentaram, de acordo com cada critério. Nas amostras inadequadas de concentração de flúor, 34,7% situou-se nos teores acima de 1,0 mg.L-1 e 6,7%, baixos teores de flúor na água (< 0,7 mg.L-1). Pelos critérios do Cecol, 45,0% das amostras caracterizaram-se por risco moderado a muito alto de desenvolvimento de fluorose (teores de flúor entre 0,95 e ≥ 1,45 mg.L-1). Recomenda-se a adoção de medidas efetivas para garantir à população o consumo de água tratada com qualidade, o que inclui teores adequados de flúor na água e manutenção de ações de vigilância sanitária por parte das autoridades de Saúde Pública.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Mirian Kuhnen, Universidade do Planalto Catarinense (Uniplac), Lages, SC

    Departamento de Pós-graduação. Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família e Comunidade. Universidade do Planalto Catarinense-UNIPLAC

     

  • Bruno Gamba, Universidade do Planalto Catarinense (Uniplac), Lages, SC
    Cirurgião-dentista Residentes em Saúde da Família e Comunidade-UNIPLAC
  • Paulo Capel Narvai, Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (FSP/USP), São Paulo, SP
    Professor Titular
    Faculdade de Saúde Pública - Universidade de São Paulo
  • Ramona Fernanda Ceriotti Toassi, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS
    Departamento de Odontologia Preventiva e Social Núcleo de Avaliação da Unidade - NAUODO Faculdade de Odontologia Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Publicado

2017-03-07

Edição

Seção

Artigo

Como Citar

Qualidade da água tratada: avaliação dos teores de flúor em 10 anos de heterocontrole no município de Lages, Santa Catarina, Brasil. (2017). Vigilância Sanitária Em Debate , 5(1), 91-96. https://doi.org/10.22239/2317-269X.00833

Artigos Semelhantes

1-10 de 666

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)