Análise microbiológica e avaliação das Boas Práticas de Fabricação durante o fluxograma de processamento do repolho branco (Brassica oleracea var. capitata f. alba) cru servido em um restaurante self-service

Autores

  • Jhonathan Campos do Couto Beltrão Universidade Federal Fluminense (UFF), Niterói, RJ Autor
  • Letícia Gonçalves Pereira Universidade Federal Fluminense (UFF), Niterói, RJ Autor
  • Alice Gonçalves Martins Gonzalez Universidade Federal Fluminense (UFF), Niterói, RJ Autor

DOI:

https://doi.org/10.22239/2317-269X.00892

Palavras-chave:

Hortaliças, Análise Microbiológica, Boas Práticas de Fabricação, Serviços de Alimentação, Produção de Alimentos

Resumo

Introdução: O consumo de refeições fora do lar vem se tornando uma prática cada dia mais comum na vida da população brasileira e de todo mundo. Objetivo: O objetivo deste trabalho foi avaliar a qualidade microbiológica do repolho branco (Brassica oleracea var. capitata f. alba)cru, servido em um restaurante self-service, nas diferentes etapas do processamento (recepção,higienização, fatiamento, resfriamento e distribuição). Além de avaliar os procedimentos de Boas Práticas de Fabricação (BPF), através de uma lista de verificação. Método: Foram realizadas as contagens de coliformes totais, Escherichia coli e bactérias totais aeróbias, e pesquisa de Salmonella spp. Resultados: Uma amostra coletada na etapa de recepção apresentou Salmonella spp. A higienização eliminou Salmonella spp. e reduziu coliformes totais e E. coli a números indetectáveis. O ambiente, os equipamentos e a manipulação influenciaram fortemente na qualidade microbiológica do alimento. As amostras coletadas no dia 4, após o fatiamento, apresentaram contagem de 3,2 log UFC de E. coli por g, chegando a distribuição com 4,1 log UFC/g, valor que indica, condições higiênico-sanitárias insatisfatórias. O restaurante apresentou 55,75% de conformidade aos requisitos das BPF, sendo classificado no Grupo 2, de acordo com a RDC n° 275, de 21 de outubro de 2002. As não conformidades (37,00%) observadas no item exposição ao consumo do alimento preparado podem estar influenciando diretamente a qualidade microbiológica do repolho branco cru servido. Conclusões: Desta forma, destacamos a importância da aplicação das BPF no processo produtivo para a obtenção de um alimento seguro e o atendimento aos quatro POP exigidos pela RDC n° 216, de 15 de setembro de 2004.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Jhonathan Campos do Couto Beltrão, Universidade Federal Fluminense (UFF), Niterói, RJ

    Faculdade de Nutrição

  • Letícia Gonçalves Pereira, Universidade Federal Fluminense (UFF), Niterói, RJ

    Departamento de Bromatologia

    Faculdade de Farmácia

  • Alice Gonçalves Martins Gonzalez, Universidade Federal Fluminense (UFF), Niterói, RJ

    Departamento de Bromatologia

    Faculdade de Farmácia

Publicado

2017-11-30

Edição

Seção

Artigo

Como Citar

Análise microbiológica e avaliação das Boas Práticas de Fabricação durante o fluxograma de processamento do repolho branco (Brassica oleracea var. capitata f. alba) cru servido em um restaurante self-service. (2017). Vigilância Sanitária Em Debate , 5(4), 24-31. https://doi.org/10.22239/2317-269X.00892

Artigos Semelhantes

1-10 de 666

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.