Análise dos casos de citomegalovírus, toxoplasmose e rubéola em gestantes em um hospital de referência em João Pessoa, Paraíba, no período de agosto a novembro de 2015

Autores

  • Sayonara Ferreira Diniz Universidade Federal da Paraíba (UFPB), João Pessoa, PB Autor http://orcid.org/0000-0002-2626-2506
  • Allana Carla Dantas Universidade Federal da Paraíba (UFPB), João Pessoa, PB Autor
  • Saul de Azevêdo Souza Universidade Federal da Paraíba (UFPB), João Pessoa, PB Autor
  • Ulanna Maria Bastos Cavalcante Universidade Federal da Paraíba (UFPB), João Pessoa, PB Autor
  • Francisca Inês de Sousa Freitas Universidade Federal da Paraíba (UFPB), João Pessoa, PB Autor
  • Caliandra Maria Bezerra Luna Lima Universidade Federal da Paraíba (UFPB), João Pessoa, PB Autor

DOI:

https://doi.org/10.22239/2317-269X.00934

Palavras-chave:

Estudos Soroepidemiológicos, Gravidez, Doença Infecciosa

Resumo

Introdução: As doenças infecciosas são frequentes durante o período gestacional e podem ser transmitidas da mãe para o feto. Objetivo: O presente estudo investigou fatores socioeconômicos e demográficos associados à citomegalovírus, toxoplasmose e rubéola, em gestantes atendidas no hospital de referência na gestação de alto risco, Instituto Cândida Vargas, localizado em João Pessoa, Paraíba. Método: Realizou-se um estudo observacional descritivo, com delineamento transversal, a partir da aplicação de questionários e avaliação dos exames, no período de agosto a novembro de 2015. Resultados: A partir da análise descritiva dos dados, verificou-se que das 242 gestantes incluídas no estudo, 39,50% tinham 20 a 29 anos, 70,00% possuíam renda familiar inferior a um salário, 90,00% residiam na zona urbana, 34,70% estavam na primeira gestação. Das gestantes com registros de dados sorológicos no cartão da gestante, a sororeatividade para IgG foi 88,90% para citomegalovírus, 67,70% e 70,80% para toxoplasmose e rubéola, respectivamente. Conclusões: Assim, tem-se que os casos encontrados de gestantes suscetíveis e com doenças agudas demonstram a necessidade de instituir medidas de orientação para a prevenção, controle e tratamento, de modo a evitar a transmissão vertical e os efeitos deletérios destas doenças nos recém-nascidos.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Publicado

2017-11-30

Edição

Seção

Artigo

Como Citar

Análise dos casos de citomegalovírus, toxoplasmose e rubéola em gestantes em um hospital de referência em João Pessoa, Paraíba, no período de agosto a novembro de 2015. (2017). Vigilância Sanitária Em Debate , 5(4), 40-44. https://doi.org/10.22239/2317-269X.00934

Artigos Semelhantes

1-10 de 190

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.