A “comunicação prévia” com expositores de queijos e embutidos cárneos na Feira da Agricultura Familiar, RS: um instrumento de educação em saúde para uso da Vigilância Sanitária em eventos de massa

Palavras-chave: Vigilância Sanitária;, Segurança de Produtos ao Consumidor, Vigilância em Saúde Pública, Alimento Seguro, Eventos de Massa

Resumo

Introdução: No evento de massa Feira da Agricultura Familiar são ofertados queijos e embutidos cárneos processados em agroindústrias familiares do Rio Grande do Sul. Em muitas edições da Feira, os fiscais sanitários encontravam recorrentes inadequações na comercialização desses produtos. Objetivo: Visando inovar a conduta da Vigilância Sanitária em alimentos na redução de riscos, foi criado o instrumento, denominado “comunicação prévia”, para ser aplicado aos expositores e avaliado como recurso de educação em saúde. Método: A “comunicação prévia” foi redigida reafirmando a corresponsabilidade entre a Vigilância Sanitária e expositores para com a saúde dos consumidores, bem como foram listadas as inadequações observadas em edições anteriores. Nas edições 2016 e 2017, três meses antes do evento, esse instrumento foi enviado para as agroindústrias expositoras. Para aferir a influência do instrumento na redução de inadequações foi usada parte do Anexo II da RDC da Anvisa nº 43, de 1º de setembro de 2015. Resultados: Comparamos as inadequações dos anos 2014 e 2015 com as de 2016 e 2017, como exemplos: os itens matérias-primas transportadas, armazenadas e conservadas, incluindo temperatura, de 62,50% dos estandes passou para 5,71% em 2016 e 14,21% em 2017; a temperatura dos alimentos mantidos nos equipamentos para exposição e distribuição de 75,00% dos estandes passou para 60,00% em 2016 e para 3,57% em 2017; o item rotulagem de 62,50% dos estandes passou para 0% em 2016 e 2017. Conclusão: O instrumento exerceu influência na redução de riscos na comercialização dos alimentos.

Biografia do Autor

Saionara Araújo Wagner, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil

Possui graduação em Medicina Veterinária pela Universidade Federal de Pelotas (1991), Mestrado em Ciências Veterinárias pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1998) e Doutorado em Ciências Veterinárias pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2003). Atualmente é professora pesquisadora da FAculdade de Veterinária da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, e no Curso de Graduação Tecnológica em PLanejamento e Gestão para o Desenvolvimento Rural do Programa de Pós Graduação em Desenvolvimento Rural da mesma Universidade. Tem experiência na área de Desenvolvimento Rural, com ênfase em Desenvolvimento Territorial, atuando principalmente nos seguintes temas: agricultura familiar, Indicção Geográfica, agroindústria familiar, sistemas de produção animal, desenvolvimento e extensão rural.

Cesar Augusto Marchionatti Avancini, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil

Possui graduação em Medicina Veterinária pela Universidade Federal de Santa Maria (1984), graduação em Bacharelado em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1990), graduação em Licenciatura em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1991), mestrado em Medicina Veterinárias pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1995) e doutorado em Ciências Veterinárias pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2002). Atuou como médico veterinário autônomo e como sanitarista no serviço público. Atualmente é professor Associado da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Atua como orientador no pós-graduação Lato Sensu e Stricto Sensu. Tem experiência na área de Medicina Veterinária, com ênfase em Saúde Animal (Profilaxia Médico-Veterinária, Ecologia aplicada à Medicina Veterinária, Higiene Médico-Veterinária, Higiene em ambientes de manipulação de alimentos de origem animal), atuando principalmente nos seguintes temas: plantas medicinais/extrações vegetais na Medicina Veterinária; Medicina Veterinária Preventiva: controle de infecção nos ambientes de saúde e de produção animal; Saúde Pública; utilização de plantas condimentares na conservação de alimentos de origem animal; Desenvolvimento Sustentável: produção animal em sistemas agroecológicos/orgânicos.

Publicado
2019-08-30
Como Citar
Amado, R., Feltrin, M., Araújo Wagner, S., kindiein, L., & Marchionatti Avancini, C. (2019). A “comunicação prévia” com expositores de queijos e embutidos cárneos na Feira da Agricultura Familiar, RS: um instrumento de educação em saúde para uso da Vigilância Sanitária em eventos de massa. Vigilância Sanitária Em Debate: Sociedade, Ciência & Tecnologia, 7(3), 73-79. https://doi.org/10.22239/2317-269x.01307
Seção
Relato de Experiência