Análise de óbitos domiciliares e hospitalares por causas respiratórias e cardiovasculares durante a pandemia da COVID-19 em Minas Gerais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22239/2317-269x.01726

Palavras-chave:

Pandemia, Coronavírus, Mortes, Doenças Pulmonares, Doenças Cardíacas, Minas Gerais

Resumo

Introdução: A pandemia pela COVID-19 em Minas Gerais acarretou a diminuição da procura por atendimentos médicos, como consultas ambulatoriais, exames e cirurgias eletivas, como uma das estratégias de contingência. Objetivo: Analisar as mortes por causas respiratórias e cardiovasculares durante o primeiro semestre de 2020 ocorridas em domicílios e em hospitais de Minas Gerais. Método: As causas de óbitos foram analisadas por meio dos dados do Portal da Transparência do Registro Civil nas semanas epidemiológicas 1 a 23. Resultados: Constatou-se que, comparativamente ao mesmo período de 2019, houve acréscimo nas mortes domiciliares por pneumonia (17,59%), insuficiência respiratória (20,65%), síndrome respiratória aguda grave (20,69%), sepse (31,91%), infarto agudo do miocárdio (15,56%), acidente vascular cerebral (18,29%) e por outras causas cardiovasculares (18,44%) em 2020. Já em relação aos óbitos hospitalares, constatou-se redução das mortes por pneumonia (6,08%), por insuficiência respiratória (3,59%) e por sepse (2,21%), apesar do incremento de 338,30% por síndrome respiratória aguda grave. Além disso, encontrou-se decréscimo de 3,02% dos óbitos por acidente vascular cerebral e crescimento de 3,41% por infarto agudo do miocárdio e de 2,93% para outras causas cardiovasculares. Em relação à faixa etária e ao sexo, independentemente do local do óbito, predominaram homens com idade entre 75 e 80 anos. Conclusões: Acredita-se que parte desses óbitos esteja relacionada com a reestruturação da dinâmica de atendimento hospitalar associado ao medo de procurar assistência e se infectar pelo novo coronavírus. Conclui-se que houve aumento de mortes domiciliares e redução das mortes hospitalares em 2020 por causas respiratórias e cardiovasculares em meio ao contexto da pandemia.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Thiago Henrique Evangelista Alves, Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Uberlândia, MG, Brasil

    Discente do curso de graduação em Medicina da Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, Minas Gerais, Brasil

  • Tafarel Andrade de Souza, Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Uberlândia, MG, Brasil

    Pesquisador do Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde da Faculdade de Medicina, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, Minas Gerais, Brasil

  • Samyla de Almeida Silva, Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Uberlândia, MG, Brasil

    Discente do curso de graduação em Medicina da Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, Minas Gerais, Brasil

  • Nayani Alves Ramos, Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Uberlândia, MG, Brasil

    Discente do curso de graduação em Medicina da Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, Minas Gerais, Brasil

  • Stefan Vilges de Oliveira, Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Uberlândia, MG, Brasil

    Docente do Departamento de Saúde Coletiva da Faculdade de Medicina, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, Minas Gerais, Brasil

Publicado

2020-08-20

Edição

Seção

COVID-19/SARS-CoV-2 Artigo

Como Citar

Análise de óbitos domiciliares e hospitalares por causas respiratórias e cardiovasculares durante a pandemia da COVID-19 em Minas Gerais. (2020). Vigilância Sanitária Em Debate , 8(3), 104-113. https://doi.org/10.22239/2317-269x.01726

Artigos Semelhantes

1-10 de 189

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)