Perfil epidemiológico dos casos de síndrome respiratória aguda grave no estado de Minas Gerais, Brasil, 2020 a 2021

Vigil Sanit Debate, Rio de Janeiro, 2023, v.11: e02062 | Publicado em: 03/08/2023

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22239/2317-269x.02062

Palavras-chave:

SRAG, COVID-19, Epidemiologia Descritiva, Notificação de Doenças Infecciosas, SARS-CoV-2

Resumo

Introdução: O aumento do número de casos de síndrome respiratória aguda grave (SRAG) associado ao SARS-CoV-2 originou uma das maiores emergências mundiais de saúde pública. Objetivo: Avaliar o perfil epidemiológico da SRAG no estado de Minas Gerais, durante 2020 e 2021. Método: Realizou-se pesquisa transversal, descritiva, retrospectiva e qualiquantitativa. Os dados foram coletados do sistema SIVEP-Gripe e do Painel de Monitoramento dos Casos de COVID-19, dos anos de 2020 e 2021. As variáveis analisadas foram: total de casos de COVID-19, total de SRAG e SRAG por COVID-19, idade, sexo, raça, classificação final e evolução final. Resultados: O estado apresentou 315.726 casos de SRAG e, destes, 58,6% foram causados pelo SARS-CoV-2. A maioria dos indivíduos que apresentou SRAG eram do sexo masculino, faixa etária de acima dos 60 anos e raça parda. Dentre os casos de SRAG, 23,3% evoluíram para óbito, e destes 77,6% tinham como causa a COVID-19. As regionais de Uberlândia, Belo Horizonte, Coronel Fabriciano, Patos de Minas, Uberaba, Ituiutaba, Leopoldina, Governador Valadares e Juiz de Fora apresentaram as maiores ocorrências de SRAG/habitantes. As regionais São João del-Rei, Teófilo Otoni, Passos e Uberaba destacaram-se por apresentar elevada taxa de letalidade dos pacientes que apresentaram SRAG por COVID-19. Conclusões: A distribuição dos casos e óbitos notificados de SRAG em Minas Gerais foi heterogênea, com número maior de casos em municípios com maior densidade demográfica. As questões elencadas nesta pesquisa apontaram as deficiências e fragilidades nas capacidades de resposta ao enfrentamento da pandemia, o que indica a necessidade de descentralização e reestruturação do sistema de saúde de diversos municípios do estado.

Biografia do Autor

Luiz Fernando Moura Goulart, Universidade Brasil, Fernandópolis, SP, Brasil

Luciano Ricardo de Oliveira, Universidade Brasil, Fernandópolis, SP, Brasil

Leonice Domingos dos Santos Cintra Lima, Universidade Brasil, Fernandópolis, SP, Brasil

Luciana Estevam Simonato, Universidade Brasil, Fernandópolis, SP, Brasil

Danila Fernanda Rodrigues Frias, Universidade Brasil, Fernandópolis, SP, Brasil / Departamento de Emergências em Saúde Pública, Secretaria de Vigilância em Saúde e Ambiente, Ministério da Saúde, Brasília, DF, Brasil

Downloads

Publicado

2023-08-03

Como Citar

Goulart, L. F. M., Ricardo de Oliveira, L., Domingos dos Santos Cintra Lima, L., Estevam Simonato, L., & Fernanda Rodrigues Frias, D. (2023). Perfil epidemiológico dos casos de síndrome respiratória aguda grave no estado de Minas Gerais, Brasil, 2020 a 2021: Vigil Sanit Debate, Rio de Janeiro, 2023, v.11: e02062 | Publicado em: 03/08/2023. Vigil Sanit Debate, Rio De Janeiro, 11, 1–10. https://doi.org/10.22239/2317-269x.02062