Percepções e representações sociais da comunidade quilombola acerca dos tabânidas (Diptera, Tabanidae) na Ilha da Marambaia, Mangaratiba, Rio de Janeiro

  • Ronald Rodrigues Guimaraes Universidade Estácio de Sá (UNESA),Rio de Janeiro, RJ / Centro de Educação e Pesquisas em Medicina Ambiental(CEMA), Nilópolis, RJ / Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca - ENSP-FIOCRUZ
  • Harlan Ronald Storti Rodrigues Centro de Educação e Pesquisas em Medicina Ambiental (CEMA), Nilópolis, RJ / Centro de Cultura Inglesa (CCI), Nova Iguaçu, RJ
  • Ronald Rodrigues Guimarães Júnior Centro de Educação e Pesquisas em Medicina Ambiental (CEMA), Nilópolis, RJ / Associação Brasileira de Ensino Universitário (ABEU), Nova Iguaçu, RJ
  • Roney Rodrigues Guimaraes Universidade Estácio de Sá (UNESA), Rio de Janeiro, RJ / Centro de Educação e Pesquisas em Medicina Ambiental (CEMA), Nilópolis, RJ / Universidade de Barra Mansa (UBM), Barra Mansa, RJ
  • Raimundo Wilson de Carvalho Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca (ENSP/FIOCRUZ), Rio de Janeiro, RJ
Palavras-chave: Mutucas, Saber Popular, Vetor, Ilha Atlântica, Conhecimento Popular

Resumo

O objetivo do estudo foi identificar a percepção e as representações sociais que tem a comunidade quilombola da Ilha da Marambaia com relação aos tabânidas, dípteros bastante comuns em toda a Ilha. Um questionário foi proposto a 60 residentes. A análise foi desenvolvida com espeque na Teoria das Representações Sociais. Os resultados indicam que diferentemente de outros saberes que se encontram bem incorporados ao cotidiano da comunidade e a despeito de serem consideradas uma “praga”, os tabânidas ainda é assunto praticamente desconhecido dos habitantes da ilha da Marambaia, o que pode vir a ser produtivo para o trabalho de educação sanitária e ambiental.

Biografia do Autor

Ronald Rodrigues Guimaraes, Universidade Estácio de Sá (UNESA),Rio de Janeiro, RJ / Centro de Educação e Pesquisas em Medicina Ambiental(CEMA), Nilópolis, RJ / Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca - ENSP-FIOCRUZ
Bacharel em Medicina Veterinária pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (1979) e Bacharel em Direito pela Universidade Iguaçu (2008). Especialista em Parasitologia Veterinária (UFRRJ) e em Metodologia do Ensino Superior (UNIG). Mestre em Doenças Parasitárias pela Universidade Iguaçu (2000). Doutor em Saúde Pública pela Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca do Instituto Oswaldo Cruz (2015). Foi Diretor do Departamento de Produção Animal da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Agropecuário da Prefeitura de Nova Iguaçu e Diretor do Departamento de Saúde Coletiva da Prefeitura Municipal de Queimados. Foi responsável pelo Biotério da Universidade Iguaçu e professor da mesma, tendo lecionado as disciplinas de Parasitologia Médica, Metodologia da Pesquisa, Histologia e Citologia. Tem experiência na área de Parasitologia, com ênfase em Entomologia, Parasitos e Vetores, atuando principalmente na pesquisa em epidemiologia e biologia de vetores, biomonitoramento biológico e vetorial, enteroparasitoses em escolares, estratégias de ensino, metodologia científica e bioética. Interessado em legislação sanitária e ambiental. Membro do Grupo de Pesquisa Epidemiologia e Biologia Molecular de Agentes Patogênicos e de seus Vetores Biológicos de Importância em Saúde Pública (CNPq). Presidente voluntário do Centro de Educação e Pesquisas em Medicina Ambiental. Atualmente desenvolve pesquisas de interações parasitos-vetores-hospedeiros sob a ótica dos sistemas holárquicos, no bioma Mata Atlântica, na Ilha da Marambaia e Reserva Biológica do Tinguá, Rio de Janeiro
Ronald Rodrigues Guimarães Júnior, Centro de Educação e Pesquisas em Medicina Ambiental (CEMA), Nilópolis, RJ / Associação Brasileira de Ensino Universitário (ABEU), Nova Iguaçu, RJ
Estudante de graduação em Análise de Sistemas, na Associação Brasileira de Ensino Universitário, Nova Iguaçu, RJ.
Roney Rodrigues Guimaraes, Universidade Estácio de Sá (UNESA), Rio de Janeiro, RJ / Centro de Educação e Pesquisas em Medicina Ambiental (CEMA), Nilópolis, RJ / Universidade de Barra Mansa (UBM), Barra Mansa, RJ

Doutor em Biologia Animal pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRuralRJ). Graduação em Ciências Biológicas e Gestão Ambiental (Andamento), Especialização em Biologia Parasitária, Mestrado em Ciências Biológicas (Doenças Parasitárias) e Docente da Universidade Estácio de Sá (UNESA - Presencial e EAD) e do Centro Universitário de Barra Mansa (UBM). Editor Científico e Consultor Adhoc do Periódico On Line EntomoBrasil;. Assessor Ad-hoc - Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP). Membro do Conselho Editorial Externo da Revista Científica do Centro Universitário de Barra Mansa. Tenho experiência, como docente, na área de Microbiologia Geral, Parasitologia Geral, Biologia Geral e Zoologia. Ministro aulas sobre Microbiologia Básica e Aplicada, Parasitologia Geral, Biologia Geral, Ecologia Geral e Aplicada. Entomologia, Técnicas de Coleta de Materiais Zoológicos e Zoologia. INEP - Avaliador do BASIs nos Instrumentos de Autorização, Reconhecimento e Renovação de Reconhecimento de Cursos. Pesquisas na área de Entomologia relacionadas a Ecologia de dípteros muscóides e seus microhimenópteros parasitóides. Bioindicadores da Qualidade da Água.

Raimundo Wilson de Carvalho, Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca (ENSP/FIOCRUZ), Rio de Janeiro, RJ

Possui graduação em Medicina Veterinária pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (1982), mestrado em Medicina Veterinária pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (1993) e doutorado em Biologia Parasitária pela Fundação Oswaldo Cruz (1999). Atualmente é médico veterinário da Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca da Fundação Oswaldo Cruz. Tem experiência na área de Zoologia, com ênfase em Taxonomia de sifonápteros e o seu papel como vetor biológico. Atua principalmente nos seguintes temas: Siphonaptera, agentes patogênicos veiculados pelos sifonápteros. Além disso, avalia o risco zoonótico gerado por artrópodes em geral, a biodiversidade desses artrópodes e também a de pequenos roedores. É membro da Comissão de Ética no Uso de Animais (CEUA) da Fundação Oswaldo Cruz.

Publicado
2016-11-25
Como Citar
Guimaraes, R., Rodrigues, H., Guimarães Júnior, R., Guimaraes, R., & Carvalho, R. (2016). Percepções e representações sociais da comunidade quilombola acerca dos tabânidas (Diptera, Tabanidae) na Ilha da Marambaia, Mangaratiba, Rio de Janeiro. Vigilância Sanitária Em Debate: Sociedade, Ciência & Tecnologia, 4(4), 71-79. https://doi.org/10.22239/2317-269x.00567