Higienização de unidade móvel de saúde

Autores

  • Rafaela Aparacida Prata Faculdade de Medicina de Botucatu, Universidade Estadual Paulista (FMB/UNESP), Botucatu, SP
  • Evelise Pires Cogo Simão Faculdade de Medicina de Botucatu, Universidade Estadual Paulista (FMB/UNESP), Botucatu, SP
  • Paula Fernandes Chadi Faculdade de Medicina de Botucatu, Universidade Estadual Paulista (FMB/UNESP), Botucatu, SP
  • Ana Lúcia Gregório Tavares Faculdade de Medicina de Botucatu, Universidade Estadual Paulista (FMB/UNESP), Botucatu, SP
  • Natália Augusto Benedetti Faculdade de Medicina de Botucatu, Universidade Estadual Paulista (FMB/UNESP), Botucatu, SP
  • Lívia Faria Orso Faculdade de Medicina de Marília (FAMEMA), Marília, SP
  • Silvia Maria Caldeira Faculdade de Medicina de Botucatu, Universidade Estadual Paulista (FMB/UNESP), Botucatu, SP
  • Gabriela Corrêa Carvalho Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS), Campo Grande, MS
  • Ione Corrêa Faculdade de Medicina de Botucatu, Universidade Estadual Paulista (FMB/UNESP), Botucatu, SP

DOI:

https://doi.org/10.3395/2317-269x.00683

Palavras-chave:

Desinfecção, Infecção, Infecções, Ambulâncias

Resumo

Introdução: Considerando a disseminação de micro-organismos no transporte e locomoção de pessoas por unidades móveis de saúde, não podemos deixar de prover a limpeza e desinfecção de todas as áreas destinadas à acomodação dos usuários e equipamentos. Objetivo: Identificar na literatura científica sobre higienização de Unidade Móvel de Saúde. Método: Trata-se de uma revisão integrativa da literatura nas bases de dados LILACS, SciELO, MEDLINE, PubMED, CINAHL, Embase, WoS, Scopus. A coleta de dados deu-se em março de 2015, incluindo artigos do período compreendido entre 2005 a 2015. Resultados: Foram selecionados 769 artigos. Destes, apenas seis artigos preencheram os critérios de inclusão.  Ao caracterizar estes estudos percebe-se que todos descrevem estudos internacionais, dos quais três são da base de dados CINAHL, dois da Pubmed e um da LILACS. Conclusão: É necessária a realização de maiores investigações que subsidiem a higienização de unidades móveis de saúde, a partir da escolha do desinfetante adequado, frente à carga microbiana desses veículos, com o intuito de proporcionarem estratégias para prevenção da infecção relacionada à assistência à saúde, aumentando a adesão das boas práticas e inclusive elaboração de Protocolos Assistenciais ou Procedimentos Operacional Padrão (POP), no controle de infecção cruzada em unidades móveis de saúde.

Biografia do Autor

Rafaela Aparacida Prata, Faculdade de Medicina de Botucatu, Universidade Estadual Paulista (FMB/UNESP), Botucatu, SP

Possui graduação em curso de enfermagem pela Faculdade Sudoeste Paulista de Avaré(2010), especialização em enfermagem do trabalho pela Faculdade Ingá, UNINGA (2011) e especialização em gestão em saúde pela Universidade Federal de São Paulo (2013).Atualmente é mestranda na área de Cuidado em Saúde pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho e Enfermeira Assistencial no Centro Cirúrgico do Hospital das Clínicas de Botucatu. Áreas de Atuação: educação em serviço, gerenciamento,urgência e emergência, central de material e esterilização, cuidados aos pacientes na sala de recuperação anestésica.

Downloads

Publicado

2016-05-31

Como Citar

Prata, R. A., Simão, E. P. C., Chadi, P. F., Tavares, A. L. G., Benedetti, N. A., Orso, L. F., Caldeira, S. M., Carvalho, G. C., & Corrêa, I. (2016). Higienização de unidade móvel de saúde. Vigilância Sanitária Em Debate: Sociedade, Ciência & Tecnologia (Health Surveillance under Debate: Society, Science & Technology) – Visa Em Debate, 4(2), 51-55. https://doi.org/10.3395/2317-269x.00683

Edição

Seção

Artigo

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.