Experiência bem-sucedida no controle do Aedes aegypti sem uso de venenos no sertão cearense

  • Fernando Ferreira Carneiro Fundação Oswaldo Cruz – Ceará, Fortaleza, CE
  • Vanira Matos Pessoa Fundação Oswaldo Cruz – Ceará, Fortaleza, CE
  • Ana Cláudia de Araújo Teixeira Fundação Oswaldo Cruz – Ceará, Fortaleza, CE
  • Maria Idalice Silva Barbosa Secretaria de Educação do Estado do Ceará (SEDUC), Fortaleza, CE
  • Antonio Carlile Holanda Lavor Fundação Oswaldo Cruz – Ceará, Fortaleza, CE
  • Jurandi Frutuoso Silva Conselho Nacional de Secretários deSaúde (CONASS), Brasília, DF
Palavras-chave: Controle de Vetores, Aedes Aegypti, Dengue, Zika, Chikungunya

Resumo

O Brasil passa por uma emergência de saúde pública e por uma tríplice epidemia de Dengue, Zika e Chikungunya, transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti. Estudos atestam a ineficácia do modelo convencional adotado há mais de 30 anos. Apresentamos a experiência do município de Pedra Branca no sertão do Ceará, que rompeu com o paradigma de combate ao vetor centrado no controle químico hegemônico no Brasil. O município obteve êxito nas suas ações de controle vetorial, apresentando ausência de Dengue há mais de dez anos, alcançando no ano de 2016 por seis meses 0,09% de índice de infestação predial por Aedes aegypti. Esse resultado é fruto de um trabalho de cerca de 15 anos que vem sendo mantido pelas sucessivas gestões municipais, as quais destacamos: visitas mensais dos agentes de combate às endemias; ovitrampas; monitoramento ambiental; vedação de reservatórios; controle biológico; delimitação de focos; educação em saúde; integração da Estratégia Saúde da Família com  agentes de combate às endemias e a secretaria de educação; e apoio da gestão municipal como um todo. A experiência desse município aponta para formas mais efetivas e sustentáveis, podendo subsidiar ações de enfrentamento da tríplice epidemia a serem implementadas em outros sistemas municipais de saúde.

Biografia do Autor

Fernando Ferreira Carneiro, Fundação Oswaldo Cruz – Ceará, Fortaleza, CE
Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Minas Gerais (1995), Especialização em Vigilância em Saúde Ambiental pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1996), Mestrado em Saúde Ambiental pelo Instituto Nacional de Salud Pública de México (1999), Doutorado em Epidemiologia pela Universidade Federal de Minas Gerais (2007), e pós-doutorado em Sociologia pelo Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra - Portugal (2015). Possui experiência na área de Saúde Coletiva, com ênfase em saúde e ambiente, e saúde no campo, atuando principalmente no diálogo entre o conhecimento científico e os saberes populares voltado para a melhoria das condições de vida das populações. Foi consultor do Ministério do Meio Ambiente, Ministério da Saúde e servidor da Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Coordenou a área de Epidemiologia Ambiental da Secretaria de Saúde de Minas Gerais, e atuou como Coordenador Geral de Vigilância em Saúde Ambiental do Ministério da Saúde e foi professor e chefe do Departamento de Saúde Coletiva da UnB. Atualmente é Pesquisador e Diretor da Fiocruz Ceará. É Professor Colaborador do Núcleo de Estudos de Saúde Pública da UnB. É credenciado aos Programas de Mestrado em Trabalho, Ambiente e Movimentos Sociais da ENSP/FIOCRUZ; Programa de Pós Graduação em Saúde Coletiva da UnB e do Mestrado em Saúde da Família da Fiocruz Ceará. Participa do GT de Saúde e Ambiente da Associação Brasileira de Saúde Coletiva- ABRASCO. Coordena o Observatório da Política Nacional de Saúde Integral das Populações do Campo, da Floresta e das Águas - Teia de saberes e práticas
Vanira Matos Pessoa, Fundação Oswaldo Cruz – Ceará, Fortaleza, CE
Pesquisadora em Saúde Pública da Fiocruz, doutora em Saúde Coletiva (UFC - 2015 ), mestre em Saúde Pública (UFC - 2010) Especialista em Educação Comunitária em Saúde (ESP/CE - 2007) e Residência em Saúde da Família (UVA - 2004). Tem experiência profissional no SUS com atuação na estratégia de saúde da família (ESF) e de pesquisa e ensino na atenção primária à saúde (APS), saúde do trabalhador, saúde ambiente, na formação dos profissionais da APS e em gestão em saúde. Os temas de mais interesses relacionam-se a atenção primária à saúde, saúde da família, saúde ambiente, saúde do trabalhador, saúde no campo, floresta e águas, impacto dos agrotóxicos na saúde humana.
Ana Cláudia de Araújo Teixeira, Fundação Oswaldo Cruz – Ceará, Fortaleza, CE
Graduada em Farmácia pela Universidade Federal do Ceará (1991), Especialista em Formação Docente na Área de Vigilância da Saúde pela Escola Nacional de Saúde Pública/Fundação Oswaldo Cruz (2011), Mestre em Saúde Pública, pela Universidade Federal do Ceará (1998) e Doutora em Educação Brasileira pela Faculdade de Educação da Universidade Federal do Ceará (2008). Técnica do Serviço de Vigilância à Saúde do Trabalhador e Meio Ambiente/Vigilância Sanitária/Coordenação de Vigilância Controle e Avaliação em Saúde/Secretaria da Saúde do Estado do Ceará (2003 a 2004). Professora da Escola de Saúde Pública do Ceará (2000 a 2004 e 2008 a 2010), da Faculdade Integrada do Ceará (2001 a 2004) e da Faculdade de Medicina/Universidade Federal do Ceará (2009 a 2010). Estágio de pós-doutorado no Programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva - Linha de Pesquisa Produção, Ambiente e Saúde como Bolsista do Programa de Apoio a Projetos Institucionais com a Participação de Recém-Doutores ? PRODOC/CAPES (2010 a 2013). Membro do Programa de Pós-Graduação em Saúde Pública da Universidade Federal do Ceará (2011 a 2013) tendo atuado como professora colaboradora das disciplinas Produção, Ambiente e Saúde e Tópicos Avançados em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador. Professora Visitante da área de Epidemiologia, Ambiente e Trabalho/Departamento de Saúde Coletiva/Faculdade de Ciências da Saúde/Universidade de Brasília (2013-2015). Pesquisadora em Saúde Pública da Fiocruz Ceará - Área de Saúde e Ambiente (2015 - atual). Atua na área de Saúde Coletiva com ênfase no campo das relações Produção, Ambiente e Saúde; e sobre as temáticas Territorialização em Saúde, Justiça Ambiental e Conflito Ambiental. Tem experiência em desenho de currículos e elaboração de material didático-pedagógico voltados para formação na área de saúde coletiva: saúde do trabalhador, saúde ambiental, vigilância da saúde, atenção primária à saúde.
Maria Idalice Silva Barbosa, Secretaria de Educação do Estado do Ceará (SEDUC), Fortaleza, CE
Possui graduação em Psicologia pela Universidade Federal do Ceará (1997) e mestrado em Educação pela Universidade Federal do Ceará (2006). Atualmente é desenho de currículo profissionalizante - Secretaria de Educação do Estado do Ceará. Tem experiência na área de Saúde Coletiva, com ênfase em Saúde Pública, atuando principalmente nos seguintes temas: psicologia comunitária, agente de saúde, saúde pública, educação em saúde e intervenção comunitária.
Antonio Carlile Holanda Lavor, Fundação Oswaldo Cruz – Ceará, Fortaleza, CE
Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal do Ceará (1964) . Atualmente é Secretário executivo do Núcleo Ceará do Fundação Oswaldo Cruz. Tem experiência na área de Saúde Coletiva.
Jurandi Frutuoso Silva, Conselho Nacional de Secretários deSaúde (CONASS), Brasília, DF
Graduado em medicina pela Universidade Federal do Ceará (1981); especialista em Gestão de Sistemas Locais de Saúde pela Escola de Saúde Pública do Ceará - ESP (1998); Mestre em Saúde Coletiva pela Universidade de Brasília - UnB (2013). Atualmente é secretário executivo do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS) e conselheiro do Conselheiro Nacional de Saúde (CNS). Secretaria de Estado da Saúde do Ceará (2003 a 2006); presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS) no período 2006/2007; membro do Conselho Diretivo da Escola de Saúde Pública do Ceará de 2003 a 2006; presidente do Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar(ISGH) de 2003 a 2006; Secretário Municipal de Saúde de Pedra Branca/Ceará(1997/2002) e presidente do Conselho de Secretários e Secretarias Municipais de Saúde do Ceará-COSSEMS (2001/2002).
Publicado
2016-05-31
Como Citar
Carneiro, F., Pessoa, V., Teixeira, A. C., Barbosa, M. I., Holanda Lavor, A., & Silva, J. (2016). Experiência bem-sucedida no controle do Aedes aegypti sem uso de venenos no sertão cearense. Vigilância Sanitária Em Debate: Sociedade, Ciência & Tecnologia, 4(2), 126-131. https://doi.org/10.3395/2317-269x.00775
Seção
Relato de Experiência