Triagem neonatal: o panorama atual no estado do Amapá

Autores/as

  • Grace Suzan Lopes Lacerda Universidade Federal do Amapá (Unifap), Macapá, AP Autor/a
  • Flávia Silva Costa Universidade Federal do Amapá (Unifap), Macapá, AP Autor/a
  • Deyse de Souza Dantas Universidade Federal do Amapá (Unifap), Macapá, AP Autor/a
  • Érika Rodrigues Guimarães Costa Universidade Federal do Amapá (Unifap), Macapá, AP Autor/a
  • Rafael Lima Resque Universidade Federal do Amapá (Unifap), Macapá, AP Autor/a
  • Alessandra Azevedo do Nascimento Universidade Federal do Amapá (Unifap), Macapá, AP Autor/a
  • Clóvis Luciano Giacomet Universidade Federal do Amapá (Unifap), Macapá, AP Autor/a
  • Madson Ralide Fonseca Gomes Universidade Federal do Amapá (Unifap), Macapá, AP Autor/a

DOI:

https://doi.org/10.22239/2317-269X.00903

Palabras clave:

Triagem Neonatal, Teste do Pezinho, Banco de Dados

Resumen

A triagem neonatal conhecida como teste do pezinho é um conjunto de exames que tem como finalidade detectar patologias em recém-nascidos e que deve ser realizado preferencialmente entre o 3º e o 7º mês de vida do neonato. O teste detecta seis anomalias congênitas: fenilcetonúria, hipotireoidismo congênito, anemia falciforme, fibrose cística, deficiência de biotinidase e hiperplasia adrenal congênita. Para o Ministério da Saúde, em 2007, a menor cobertura populacional de teste do pezinho no Brasil ocorreu no Amapá. Através de uma metodologia qualitativa, foram coletados dados institucionais no laboratório de referência do estado, Instituto de Hematologia e Hemoterapia do Amapá (Hemoap), usando também como instrumento de pesquisa um questionário dirigido às mães e/ou responsáveis dos neonatos no momento de realização do exame. Dos resultados obtidos somente cinco municípios dos 16 realizam a coleta do teste do pezinho, dando uma cobertura de 31,2%. Quanto aos questionários, mostrou-se majoritário o número de indivíduos que não têm conhecimentos sobre a importância do exame. Em contrapartida, 100,0% dos entrevistados responderam que tinham interesse em retornar para buscar o resultado do exame, contudo o estudo levantou dados negligenciados dos anos de 2013 a 2015, demonstrando ser grande o desinteresse das mães e/ou responsáveis que levam o neonato para realizar o teste. Tais dados mostram que o Programa Nacional de Triagem Neonatal no Amapá está longe de obter uma cobertura completa e que os bancos de dados são escassos quanto a informações sobre o estado.

Descargas

Los datos de descarga aún no están disponibles.

Biografía del autor/a

  • Grace Suzan Lopes Lacerda, Universidade Federal do Amapá (Unifap), Macapá, AP
    Acadêmica do Curso de Farmácia
  • Madson Ralide Fonseca Gomes, Universidade Federal do Amapá (Unifap), Macapá, AP
    Farmacêutico e Professor na Universidade Federal do Amapá

Publicado

2017-05-31

Número

Sección

Artículo

Cómo citar

Triagem neonatal: o panorama atual no estado do Amapá. (2017). Vigilancia En Salud En Debate: Sociedad, Ciencia Y Tecnología, 5(2), 89-96. https://doi.org/10.22239/2317-269X.00903

Artículos similares

1-10 de 642

También puede Iniciar una búsqueda de similitud avanzada para este artículo.

Artículos más leídos del mismo autor/a