Interações medicamentosas e consequentes intervenções farmacêuticas na Unidade de Terapia Intensiva de um hospital privado em Macapá, Amapá

  • Uriel Davi de Almeida e Silva Universidade Federal do Amapá (Unifap), Macapá, AP
  • Carla Luciane De Souza Soeiro Secretaria Estadual de Saúde do Amapá, Macapá, AP
  • Rafael Lima Resque Universidade Federal do Amapá (Unifap), Macapá, AP
  • Madson Ralide Fonseca Gomes Universidade Federal do Amapá (Unifap), Macapá, AP
  • Érika Rodrigues Guimarães Costa Universidade Federal do Amapá (Unifap), Macapá, AP
  • Mayara Amoras Teles Fujishima Universidade Federal do Amapá (Unifap), Macapá, AP
  • Alessandra Azevedo do Nascimento Universidade Federal do Amapá (Unifap), Macapá, AP
  • Jaderson Vieira Ferreira Universidade Federal do Amapá (Unifap), Macapá, AP
  • Deyse de Souza Dantas Universidade Federal do Amapá (Unifap), Macapá, AP
Palavras-chave: Serviço de Farmácia Hospitalar, Interações Medicamentosas, Assistência Farmacêutica

Resumo

Introdução: Pacientes internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) são submetidos a tratamentos com múltiplos fármacos, visto a gravidade dos problemas que são tratados. A interação medicamentosa é definida como um evento causado pela modificação do efeito ou aproveitamento de um fármaco no organismo em virtude de outro. A avaliação das potenciais interações medicamentosas pode auxiliar a equipe multiprofissional a promover um tratamento de qualidade, evitando que estas interações sejam danosas ao paciente, diminuindo o tempo de internação e consequentemente auxiliando na redução de custos. Objetivo: Avaliar as principais interações medicamentosas observadas nas UTI de um hospital privado na cidade de Macapá (Amapá, AP) através da análise das prescrições e das consequentes intervenções adotadas a fim de minimizar seus riscos. Método: Foram avaliadas prescrições de pacientes internados em UTI quanto à presença de potenciais interações medicamentosas e sua respectiva classificação, segundo seu risco e mecanismo. As principais interações foram destacadas a fim de destacar seu mecanismo e medidas adotadas pela equipe multidisciplinar. Resultados: Observou-se que a maioria das interações, tanto na UTI adulto quanto na UTI neonatal, foram consideradas de risco moderado. As interações farmacocinéticas foram mais comuns na UTI adulto, enquanto as farmacodinâmicas predominaram na UTI neonatal. O manejo no horário de administração dos medicamentos foi a intervenção mais adequada para a maioria dos casos das interações medicamentosas. Conclusões: o monitoramento das potenciais interações em pacientes críticos procura garantir a segurança do paciente, buscando diminuir os riscos potenciais aos quais estes estão expostos.

Biografia do Autor

Uriel Davi de Almeida e Silva, Universidade Federal do Amapá (Unifap), Macapá, AP

Professora do curso de Farmácia do Departamento de Ciências Biológicas e da Saúde, Universidade Federal do Amapá, Macapá, Brasil

Carla Luciane De Souza Soeiro, Secretaria Estadual de Saúde do Amapá, Macapá, AP
Farmacêutica do Hospital Beneficente São Camilo e São Luís, Macapá, Amapá.
Rafael Lima Resque, Universidade Federal do Amapá (Unifap), Macapá, AP
Professor do curso de Farmácia do Departamento de Ciências Biológicas e da Saúde, Universidade Federal do Amapá, Macapá, Brasil
Madson Ralide Fonseca Gomes, Universidade Federal do Amapá (Unifap), Macapá, AP
Professor do curso de Farmácia do Departamento de Ciências Biológicas e da Saúde, Universidade Federal do Amapá, Macapá, Brasil
Érika Rodrigues Guimarães Costa, Universidade Federal do Amapá (Unifap), Macapá, AP
Professora do curso de Farmácia do Departamento de Ciências Biológicas e da Saúde, Universidade Federal do Amapá, Macapá, Brasil
Mayara Amoras Teles Fujishima, Universidade Federal do Amapá (Unifap), Macapá, AP
Professora do curso de Farmácia do Departamento de Ciências Biológicas e da Saúde, Universidade Federal do Amapá, Macapá, Brasil
Alessandra Azevedo do Nascimento, Universidade Federal do Amapá (Unifap), Macapá, AP
Professora do curso de Farmácia do Departamento de Ciências Biológicas e da Saúde, Universidade Federal do Amapá, Macapá, Brasil
Jaderson Vieira Ferreira, Universidade Federal do Amapá (Unifap), Macapá, AP
Farmacêutico do Departamento de Ciências Biológicas e da Saúde, Universidade Federal do Amapá, Macapá, Brasil
Deyse de Souza Dantas, Universidade Federal do Amapá (Unifap), Macapá, AP
Professora do curso de Farmácia do Departamento de Ciências Biológicas e da Saúde, Universidade Federal do Amapá, Macapá, Brasil
Publicado
2018-05-30
Como Citar
e Silva, U. D., Soeiro, C., Resque, R., Gomes, M. R., Costa, Érika R., Fujishima, M. A., do Nascimento, A., Ferreira, J., & Dantas, D. (2018). Interações medicamentosas e consequentes intervenções farmacêuticas na Unidade de Terapia Intensiva de um hospital privado em Macapá, Amapá. Vigilância Sanitária Em Debate: Sociedade, Ciência & Tecnologia, 6(2), 29-37. https://doi.org/10.22239/2317-269x.00922
Seção
Artigo

Artigos mais lidos do mesmo autor