Avaliação das penalidades em farmácias de Goiânia-GO

Autores/as

  • Adriana Delcy de Oliveira Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, GO Autor/a
  • Nathalie de Lourdes Souza Dewulf Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, GO Autor/a
  • Danielle Guimarães Almeida Diniz Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, GO Autor/a

DOI:

https://doi.org/10.22239/2317-269X.00936

Palabras clave:

Vigilância Sanitária, Farmácia magistral, Penalidade

Resumen

A vigilância sanitária atua com a finalidade de prevenir e reduzir os riscos à saúde individual e coletiva. Devido ao risco sanitário inerente à atividade de manipulação, a farmácia magistral está a ela subordinada. Assim, o objetivo desse trabalho foi caracterizar o número de penalidades sanitárias aplicadas em farmácias magistrais de Goiânia-GO no período de 2010 a 2015. O método utilizado foi do tipo quantitativo, retrospectivo e analítico, tendo como objeto direto a caracterização do número de penalidades emitidas pela Vigilância Sanitária Municipal de Goiânia-GO, bem como a existência de inter-relação entre os aspectos caracterizados. Foram definidas as variáveis independentes (número de farmacêuticos; número de autoinspeções anuais; filiação classista; propriedade) e as dependentes (multas, apreensões, interdições e advertências). Os resultados obtidos indicaram que as farmácias que possuíam maior número de farmacêuticos sofreram menos penalidades; que as farmácias que realizaram autoinspeção sofreram menos multas; as farmácias que são afiliadas a instituições de classe sofreram um menor número de interdições e que o fato de o proprietário ser farmacêutico eleva a qualidade técnica do estabelecimento. O estudo apontou que quanto menor o número de autuações, apreensões e interdições em separado, menor o número total de penalidades.

Descargas

Los datos de descarga aún no están disponibles.

Publicado

2017-05-31

Número

Sección

Artículo

Cómo citar

Avaliação das penalidades em farmácias de Goiânia-GO. (2017). Vigilancia En Salud En Debate: Sociedad, Ciencia Y Tecnología, 5(2), 42-52. https://doi.org/10.22239/2317-269X.00936

Artículos similares

1-10 de 439

También puede Iniciar una búsqueda de similitud avanzada para este artículo.