Avaliação da especificidade do ágar Violeta Vermelho Bile Glicose para o isolamento de Enterobacteriaceae em leite de cabra cru

Palavras-chave: Enterobacteriaceae, Pseudomonas, Leite, Acinetobacter, Legislação

Resumo

Introdução: Bactérias do grupo dos coliformes têm sido empregadas ao longo dos anos como micro-organismos indicadores da qualidade microbiológica. No entanto, diversos estudos relatam a falta de correlação direta entre sua presença e a de patógenos na avaliação da segurança de alimentos, levando a sugestão de novas propostas de análise, como a pesquisa de enterobactérias totais, que compreende todos os membros da família Enterobacteriaceae. Objetivo: Determinar a população de enterobactérias em amostras de leite caprino cru com base nos critérios microbiológicos sugeridos pela Consulta Pública nº 542, de 17 de julho de 2018, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Ministério da Saúde (Anvisa - MS), para amostras de leite pasteurizado. Método: Foram utilizadas 21 amostras de pequenos produtores de diversas regiões do estado do Rio de Janeiro. Os isolados foram obtidos a partir de inoculação em ágar VRBG, de acordo com a ISO 21528-2, e identificados por espectrometria de massas por Matrix Associated Laser Desorption-Ionization – Time of Flight (MALDI/TOF). Resultados: Dos 222 isolados identificados, apenas 26,6% pertenciam à família Enterobacteriaceae. Outros 61,3% pertenciam ao gênero Pseudomonas, 4,5% ao gênero Acinetobacter e 7,6% eram Stenotrophomonas maltophilia. Apesar de não haver parâmetros microbiológicos na RDC nº 12, de 2 de janeiro de 2001, da Anvisa-MS, para leite cru, os resultados do isolamento em ágar VBRG levaram à investigação de outros estudos com achados semelhantes referentes ao isolamento de bactérias VRBG a partir de amostras de leite caprino e bovino. Conclusões: A detecção em ágar VRBG de bactérias oxidase negativas não pertencentes à família Enterobacteriaceae, como as do gênero Acinetobacter, sugere a necessidade de um debate acerca da metodologia indicada pela ISO 21528-2 para enumeração de enterobactérias, visto que o novo regulamento sobre padrões microbiológicos para alimentos não mais utilizará o grupo coliforme como indicador, e sim a contagem de Enterobacteriaceae/g ou mL.

Biografia do Autor

Gustavo Luis de Paiva Anciens Ramos, Faculdade de Farmácia, Universidade Federal Fluminense (UFF), Niterói, RJ, Brasil

Atualmente é técnico em alimentos na Universidade Federal Fluminense (Departamento de Bromatologia da Faculdade de Farmácia), responsável por coordenação dos laboratórios de Bromatologia e Higiene e Microbiologia de Alimentos. Doutorando no programa de Higiene e Processamento Tecnológico de Produtos de Origem Animal, na Faculdade de Medicina veterinária da Universidade Federal Fluminense. Mestre em Ciência e Tecnologia de Alimentos pelo Instituto Federal do Rio de Janeiro, graduado em Engenharia Química pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro e Técnico em Alimentos pelo Instituto Federal do Rio de Janeiro. Tem experiência na área de Alimentos, com ênfase em Química de Alimentos e Microbiologia.

Janaína dos Santos Nascimento, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ), Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Possui Graduação em Ciências Biológicas (Modalidade Genética) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1997), Mestrado em Ciências (Microbiologia) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2000) e Doutorado em Ciências (Microbiologia) também pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2004), sendo parte do Doutorado realizada na Norwegian University of Life Sciences, na Noruega. É Professora Titular do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ). Tem experiência na área de Microbiologia, com ênfase em Bacteriologia e Microbiologia de Alimentos, e atua nos temas de segurança microbiológica de alimentos e pesquisa de substâncias antimicrobianas do tipo bacteriocinas produzidas por bactérias associadas a alimentos.

Publicado
2020-02-27
Como Citar
Ramos, G., & Nascimento, J. (2020). Avaliação da especificidade do ágar Violeta Vermelho Bile Glicose para o isolamento de Enterobacteriaceae em leite de cabra cru. Vigilância Sanitária Em Debate: Sociedade, Ciência & Tecnologia, 8(1), 91-96. https://doi.org/10.22239/2317-269x.01340