Vigilância em Saúde em tempos de pandemia: análise dos planos de contingência dos estados do Nordeste

Autores

Palavras-chave:

Vigilância em Saúde Pública;, Pandemia;, Gestão em Saúde

Resumo

Introdução: A pandemia da COVID-19 revelou uma série de desafios para os sistemas de saúde, exigindo tomadas de decisão rápidas e ações integradas para o seu contingenciamento. A Vigilância em Saúde é um dos elementos principais para a elaboração de respostas frente à pandemia. Objetivo: Analisar de que forma a Vigilância em Saúde tem sido pensada pelas estruturas de gestão estadual, no Nordeste brasileiro, considerando a proposição de medidas de contingenciamento para o enfrentamento à COVID-19. Método: Trata-se de estudo descritivo, de base documental, com caráter analítico-reflexivo, que tomou como objeto as publicações oficiais de secretarias estaduais de saúde dos estados nordestinos, produzidas a partir da elaboração de respostas governamentais à pandemia da COVID-19. O processo de análise, ancorado em pressupostos teórico-metodológicos da análise de conteúdo, considerou os seguintes componentes: (1) organização e estrutura formal; (2) objetivos definidos, gerais e específicos e (3) propostas definidas para a Vigilância em Saúde. Resultados: A análise levou à constituição de duas categorias: 1) aspectos políticos-gerenciais da Vigilância em Saúde e 2) articulações organizacionais da Vigilância em Saúde. A primeira discute a relação prevista entre as Vigilâncias em Saúde estaduais e municipais, com base na capacidade de institucionalização da gestão governamental. A segunda categoria foca a interface da Vigilância em Saúde com os demais setores da saúde e, na intersetorialidade. Conclusões: No contexto nordestino, desafios são colocados à organização de respostas da Vigilância em Saúde na gestão do enfrentamento à pandemia da COVID-19, destacando a capacidade de articulação intergovernamental de estados e municípios e a interface da Vigilância em Saúde com demais setores sanitários e sociais.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Michael Ferreira Machado, Universidade Federal de Alagoas, Maceió, AL, Brasil

    Sanitarista. Professor de Saúde Coletiva, no Curso de Medicina, da Universidade Federal de Alagoas (UFAL). Doutor e Mestre pela Universidade Federal de Pernambuco. Graduado pela Universidade Federal de Alagoas, realizou mobilidade internacional na Universidade do Porto (Portugal). Coordena o Núcleo de Estudos em Medicina Social e Preventiva- CNPq/UFAL. Docente permanente no Mestrado Profissional em Saúde da Família (ProfSaúde - UFAL/FIOCRUZ/ABRASCO). Representante da UFAL na CIES/AL. Filiado à Associação Brasileira de Saúde Coletiva (ABRASCO). Integrante da Rede Brasileira de Educação e Trabalho em Saúde e da Rede Brasileira de Monitoramento e Avaliação. É colaborador- voluntário da Amnistia Internacional (Portugal) e da Escola de Saúde Pública de Pernambuco. Atualmente desenvolve pesquisas na área de Saúde Coletiva, com ênfase nos seguintes temas: Equidade e Políticas Públicas de Saúde; Política, Planejamento e Gestão em Saúde; Saúde Materno-infantil.

  • Túlio Romério Lopes Quirino, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, PE, Brasil / Secretaria Estadual de Saúde, Recife, PE, Brasil

    Possui graduação em Psicologia pela Universidade Federal do Vale do São Francisco (2009), especialização em Gestão da Clínica nas Regiões de Saúde pelo IEP Sírio Libanês (2015), mestrado (2012) e doutorado (2017) em Psicologia pela Universidade Federal de Pernambuco. Mestrando em Saúde Coletiva no Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal da Bahia (ISC/UFBA) e especializando em Gestão de Políticas de Saúde Informadas por Evidências no IEP Sírio Libanês. É pesquisador vinculado ao Núcleo de Pesquisas em Gênero e Masculinidades da Universidade Federal de Pernambuco (GEMA/UFPE), bem como ao Núcleo de Pesquisas em Medicina Social e Preventiva da Universidade Federal de Alagoas (UFAL). Servidor público municipal, com atuação na Unidade de Formação e Educação na Saúde (UFES/DEGTES/SESAU), estando atualmente na chefia da Divisão de Educação na Saúde (DES). Atuou na equipe da Coordenação do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família, Secretaria Municipal de Saúde, Prefeitura do Recife, onde atualmente desenvolve atividades como docente e tutor. Atuou na Coordenação do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF), Gerência da Atenção Básica, Secretaria de Saúde, em Recife/PE. É membro do Conselho Fiscal da ONG Instituto Papai, em Recife-PE, onde também desempenha trabalhos de educação e mobilização social como colaborador e pesquisador (voluntário); Foi professor da Faculdade IBGM/IBS/UNIBRA, ministrando aulas para os cursos de graduação em Enfermagem e Educação Física. Tem experiência na área de Psicologia e Saúde Coletiva, atuando principalmente nos seguintes temas: gênero, saúde e políticas públicas, com interesse especial em discussões sobre saúde pública/coletiva, atenção básica à saúde, educação em/na saúde, homens, gênero e masculinidades, políticas públicas afirmativas e psicologia social.

  • Carlos Dornels Freire de Souza, Universidade Federal de Alagoas, Maceió, AL, Brasil

    Fisioterapeuta pela Universidade Tiradentes - UNIT. Especialista de Saúde Coletiva (Instituto de Saúde Coletiva- Universidade Federal da Bahia). Especialista de Análise de Situação de Saúde (Instituto de Patologia Tropical e Saúde Pública- Universidade Federal de Goíás. Primeira turma de analistas da América Latina). Especialista em Metodologias ativas de ensino (Instituto Sírio Libanês de Ensino e Pesquisa). Mestre em Planejamento Territorial, área de concentração "geoprocessamento aplicado ao planejamento territorial" (Universidade Estadual de Feira de Santana). Doutor em Saúde Pública, área de concentração "Epidemiologia e controle de agravos à saúde (Fundação Oswaldo Cruz). Professor do curso de Medicina da Universidade Federal de Alagoas, campus Arapiraca, Área "Saúde Coletiva/epidemiologia", no qual é coordenador geral do eixo "Integração ensino, saúde, comunidade", sendo responsável pelos conteúdos "epidemiologia e bioestatística", "vigilância em saúde" e "Análise de situação de saúde". Coordenada a comissão de trabalho de conclusão de curso, é membro no Núcleo Docente Estruturante e do colegiado deliberativo do curso. Professor permanente do programa de programa de Mestrado Profissional em Saúde da Família (programa nacional dedicado à formação médica em nível de mestrado- Fiocruz e Abrasco). Áreas de atuação: 1- Saúde pública/Coletiva, epidemiologia e bioestatística, modelagem espacial de dados, métodos quantitativos na análise de situação de saúde; 2- Determinantes sociais da saúde, doenças negligenciadas, agravos à saúde humana; 3- Ensino médico e novas metodologias de ensino-aprendizagem. Membro do GPDIPeN- Grupo de Pesquisa em Doenças Infecciosas, Parasitárias e Negligenciadas (UFAL) e do NEMSP-Núcleo de Estudos em Medicina Social e Preventiva (UFAL)

Downloads

Publicado

2020-06-02

Edição

Seção

COVID-19/SARS-CoV-2 Artigo

Como Citar

Vigilância em Saúde em tempos de pandemia: análise dos planos de contingência dos estados do Nordeste. (2020). Vigilância Sanitária Em Debate , 8(3), 70-77. https://visaemdebate.incqs.fiocruz.br/index.php/visaemdebate/article/view/1626

Artigos Semelhantes

1-10 de 641

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)