Organismos Geneticamente Modificados em alimentos: desafios metodológicos em função dos avanços tecnológicos e da rotulagem

  • Rafael Lawson-Ferreira Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde, Fundação Oswaldo Cruz (INCQS/ Fiocruz), Rio de Janeiro, RJ
  • Paola Cardarelli-Leite Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde, Fundação Oswaldo Cruz (INCQS/ Fiocruz), Rio de Janeiro, RJ
  • Renata Barroso Ferreira Trotta Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde, Fundação Oswaldo Cruz (INCQS/ Fiocruz), Rio de Janeiro, RJ
  • Maria Regina Branquinho Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde, Fundação Oswaldo Cruz (INCQS/ Fiocruz), Rio de Janeiro, RJ
Palavras-chave: OGM, Alimentos, Rotulagem, Detecção

Resumo

A extensão da área cultivada com plantas geneticamente modificadas e o desenvolvimento de novas construções genéticas que dão origem a novos eventos têm aumentado consideravelmente no Brasil e em todo mundo, e a tendência esperada é a continuação desse panorama. Neste artigo, foram apresentados os principais desafios enfrentados pelos analistas de alimentos, em especial os dos laboratórios de saúde pública, em função dos inúmeros avanços tecnológicos ocorridos no desenvolvimento das construções genéticas inseridas nas plantas, e as questões legislativas relativas à rotulagem desses alimentos. Foram considerados a necessidade de revisão do Decreto nº 4680/2003 de rotulagem, a carência e o alto custo no acesso dos materiais de referência a serem utilizados nas análises, a dificuldade de implantação de novas técnicas de triagem, de quantificação evento específicas assim como de sistemas de detecção de alto desempenho, e o restrito número de laboratórios oficiais atuando nessa área no Brasil. Para o enfrentamento desses desafios e consequente atuação mais efetiva dos órgãos de Vigilância Sanitária, serão necessários maiores investimentos tanto de recursos financeiros como recursos humanos.

Publicado
2015-08-26
Como Citar
Lawson-Ferreira, R., Cardarelli-Leite, P., Trotta, R., & Branquinho, M. R. (2015). Organismos Geneticamente Modificados em alimentos: desafios metodológicos em função dos avanços tecnológicos e da rotulagem. Vigilância Sanitária Em Debate: Sociedade, Ciência & Tecnologia, 3(3), 25-33. https://doi.org/10.3395/2317-269x.00344
Seção
Artigo