Detecção de parasitos em filés de polaca do Alasca (Gadus chalcogrammus, Pallas, 1814) comercializados em São Paulo, Brasil

Palavras-chave: Pescado, Gadus chalcogrammus, Theragra chalcogramma, Vigilância em Saúde Pública, Segurança dos Alimentos

Resumo

Introdução: A polaca do Alasca, considerada a espécie de pescado marinho mais capturada mundialmente, é importada pelo Brasil como filés congelados. Apresenta uma fauna parasitária própria, porém a presença desses parasitos na musculatura pode causar implicações na segurança alimentar e repugnância. Objetivo: Este trabalho teve como objetivos investigar e relatar a presença de grupos parasitários em amostras comerciais de filés congelados de polaca do Alasca, considerando o potencial de risco à saúde humana e métodos de controle. Método: Foram analisadas 44 amostras de filés congelados de polaca do Alasca coletadas do comércio varejista da região metropolitana de São Paulo e as formas larvares foram isoladas por dissecção e observadas em microscópio estereoscópico e óptico. Resultados: Foram encontrados 133 parasitos mortos em 68% das amostras. Os cestódeos da ordem Trypanorhyncha foram detectados com maior frequência (88%), seguidos de nematódeos do grupo dos anisaquídeos (Anisakidae/Raphidascarididae) (11%) e acantocéfalo (1%). Dentre eles, os anisaquídeos apresentam potencial zoonótico, se ingeridos vivos, e alergênico mesmo após processamento térmico. Conclusões: Trata-se do primeiro relato da presença de formas parasitárias em amostras comerciais de filés de polaca do Alasca e os resultados alertam para a necessidade de melhorias com relação às boas práticas na cadeia produtiva e de maior atenção sobre o potencial alergênico relacionado ao consumo desses parasitos nos filés de peixes congelados.

Biografia do Autor

Cinthia Iara de Aquino, Núcleo de Morfologia e Microscopia, Centro de Alimentos, Instituto Adolfo Lutz Central, São Paulo, SP, Brasil

Possui graduação em Licenciatura em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2008), graduação em Bacharelado em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2011), especialização em Gestão Integrada da Qualidade, Meio Ambiente, Segurança e Saúde no Trabalho e Responsabilidade Social pelo Centro Universitário SENAC (2014) e mestrado em Sanidade, Segurança Alimentar e Ambiental no Agronegócio no Instituto Biológico de São Paulo. Atualmente é Pesquisador Científico I no Instituto Adolfo Lutz - Laboratório Central. Atua na área de Saúde Pública e bromatologia com ênfase em Microscopia de Alimentos, principalmente nos seguintes temas: análise microscópica de alimentos, bebidas e águas, identificação de elementos histológicos (composição e fraudes), pesquisa de matérias estranhas e legislação de alimentos.

Maria Aparecida Moraes Marciano, Núcleo de Morfologia e Microscopia, Centro de Alimentos, Instituto Adolfo Lutz Central, São Paulo, SP, Brasil

Pesquisador Científico e Diretor Técnico I do Núcleo de Morfologia e Microscopia do Centro de Alimentos do Instituto Adolfo Lutz, Laboratório Central/SP. Doutorado em andamento no Instituto de Medicina Tropical de São Paulo, Mestre em Protozoologia pela Universidade de São Paulo, possui especialização (aprimoramento ) em Técnicas Avançadas em Análises Clínicas pelo Instituto de Medicina Tropical de São Paulo, graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Guarulhos (2003). Tem experiência na área de Microscopia de Alimentos, com ênfase em qualidade e sanidade de alimentos, atuando principalmente nos seguintes temas: sujidades em alimentos, padrão de identificação histológica dos alimentos, diagnostico e padronização de novas técnicas de detecção molecular de parasitos em alimentos e água.

Augusta Mendes da Silva, Núcleo de Morfologia e Microscopia, Centro de Alimentos, Instituto Adolfo Lutz Central, São Paulo, SP, Brasil

Especialização em Biossegurança para Laboratórios de Saúde Pública pela FIOCRUZ- RJ, graduação em Ciências Biológicas pela Universidade de Guarulhos. Atualmente é Pesquisador Científico IV do Instituto Adolfo Lutz. Tem experiência na área de Saúde Coletiva, com ênfase em Microscopia de Alimentos, atuando principalmente nos seguintes temas: Saúde Pública, Biossegurança Laboratorial, atuação na pesquisa de matérias estranhas e qualidade de alimentos e água.

Márcia Nogueira Dimov, Núcleo de Morfologia e Microscopia, Centro de Alimentos, Instituto Adolfo Lutz Central, São Paulo, SP, Brasil

Possui graduação em Farmácia e Bioquímica pela Universidade de São Paulo (1983), mestrado e doutorado em Ciências dos Alimentos pela Universidade de São Paulo (2000) e (2007). Atualmente é pesquisador científico V do Instituto Adolfo Lutz. Tem experiência na área de Saúde Coletiva, com ênfase em Saúde Pública, atuando principalmente nos seguintes temas: trigo, análise microscópica, fragmentos de insetos, sujidades leves e segurança alimentar.

Publicado
2019-08-29
Como Citar
Pauli-Yamada, L., de Aquino, C., Marciano, M. A., da Silva, A., & Dimov, M. (2019). Detecção de parasitos em filés de polaca do Alasca (Gadus chalcogrammus, Pallas, 1814) comercializados em São Paulo, Brasil. Vigilância Sanitária Em Debate: Sociedade, Ciência & Tecnologia, 7(3), 46-52. https://doi.org/10.22239/2317-269x.01304
Seção
Artigo