Análise comparativa sobre importação de alimentos entre o Brasil e o Japão

  • Sara Fabiana Bittencourt Aguiar Especialista em Regulação e Vigilância Sanitária, Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA/ MS
  • Péricles Macedo Fernandes Fiscal Federal Agropecuário, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA
Palavras-chave: Importação de alimentos, Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA, Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento – MAPA

Resumo

O presente artigo descreve e compara os processos de importação de alimentos realizados no Brasil e Japão, assunto objeto do curso Políticas de Manejamento e Gerenciamento em Segurança de Alimentos, realizado pelos autores em uma missão de capacitação internacional na cidade de Tóquio no Japão, de 26/11 a 07/12/2013. O curso foi promovido pela JICA, Agência de Cooperação Internacional do Japão, órgão do Governo japonês responsável pela implementação da Assistência Oficial para o desenvolvimento, crescimento e estabilidade socioeconômica de países em desenvolvimento. Primeiramente apresentamos o panorama brasileiro de controle de alimentos. A responsabilidade atualmente é compartilhada, entre MAPA e ANVISA, sendo ambos os órgãos anuentes de alimentos importados. Posteriormente, é conduzida uma análise comparativa da importação de alimentos, para o delineamento de uma situação ideal no Brasil. Finalmente, alternativas e considerações dos autores para atingir o padrão japonês de qualidade são apresentadas, respeitando-se o prisma da inerente dificuldade brasileira no quesito controle sanitário de alimentos.

Biografia do Autor

Sara Fabiana Bittencourt Aguiar, Especialista em Regulação e Vigilância Sanitária, Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA/ MS
COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA EM PORTOS, AEROPORTOS, FRONTEIRAS E RECINTOS ALFANDEGADOS - CVPAF/SC/ANVISA
Publicado
2015-02-19
Como Citar
Aguiar, S., & Fernandes, P. (2015). Análise comparativa sobre importação de alimentos entre o Brasil e o Japão. Vigilância Sanitária Em Debate: Sociedade, Ciência & Tecnologia, 3(1), 129-134. https://doi.org/10.3395/2317-269x.00216
Seção
Relato de Experiência