Trabalhadores de um hospital escola em Fortaleza-CE: exposição cotidiana à Hepatite B

  • Ana Gleice da Silveira Mota Universidade Federal do Ceará
  • Julianna de Freitas Siqueira Universidade Federal do Ceará
  • Francisco Gilberto Fernandes Pereira Universidade Federal do Ceará
  • Marta Maria Costa Freitas Universidade Federal do Ceará
  • Jorge Luíz Nobre Rodrigues Universidade Federal do Ceará
  • Joselany Áfio Caetano Universidade Federal do Ceará
Palavras-chave: Enfermagem, Pessoal de saúde, Hepatite B

Resumo

Estudo transversal, descritivo, quantitativo, que objetivou analisar os acidentes ocupacionais ocorridos entre os profissionais de saúde envolvendo risco para hepatite B, em um hospital escola, em 2013. Analisaram-se 95 notificações, a maioria (73,7%) mulheres, 39 (41,1%) técnico/auxiliar de enfermagem. A faixa etária prevalente foi 20 a 39 anos, com 62 (65,3%) profissionais. A exposição percutânea ocorreu em 77 (81,1%) casos, sendo a agulha com lúmen o principal objeto causador com 35 (36,8%) e o sangue o material biológico mais notificado, com 75 (78,9%) ocorrências; 81 (83,5%) pacientes-fonte eram conhecidos, cinco (5,3%) apresentando positividade para o HBsAg; 69 (72,6%) profissionais apresentavam esquema vacinal completo para hepatite B. Quanto às condutas pós-acidente, 25 (26,3%) foram vacinados e dois (2,1%) utilizaram imunoglobulina. Apesar do protocolo do Ministério da Saúde (MS) enfatizar a adoção de medidas de biossegurança, acidentes com profissionais ainda ocorrem, aumentando o risco de exposição às doenças veiculadas pelo sangue.

Biografia do Autor

Julianna de Freitas Siqueira, Universidade Federal do Ceará

Mestre em Enfermagem pela Iniversidade Federal do Ceará

Docente do Curso de Graduação em Enfermagem da Faculdade Integrada da Grande Fortaleza

Francisco Gilberto Fernandes Pereira, Universidade Federal do Ceará
Enfermeiro. Mestrando em Enfermagem pela Universidade Federal do Ceará.
Marta Maria Costa Freitas, Universidade Federal do Ceará
Enfermeira. Hospital Universitário Walter Cantídio. Universidade Federal do Ceará (UFC).
Jorge Luíz Nobre Rodrigues, Universidade Federal do Ceará
Médico. Professor. Faculdade de Medicina. Universidade Federal do Ceará (UFC)
Joselany Áfio Caetano, Universidade Federal do Ceará
Enfermeira. Doutora. Professora Adjunta do Curso de Enfermagem da Universidade Federal do Ceará (UFC)
Publicado
2015-05-29
Como Citar
Mota, A. G., Siqueira, J., Pereira, F. G., Freitas, M., Rodrigues, J. L., & Caetano, J. (2015). Trabalhadores de um hospital escola em Fortaleza-CE: exposição cotidiana à Hepatite B. Vigilância Sanitária Em Debate: Sociedade, Ciência & Tecnologia, 3(2), 42-47. https://doi.org/10.3395/2317-269x.00258
Seção
Artigo