Água para hemodiálise: estudo comparativo entre os resultados das análises fiscais e as análises de rotina realizadas em unidades de diálise no estado do Rio de Janeiro

Autores

  • Sonia Silva Ramirez Superintendencia de Vigilância Sanitária(SUVISA)da Secretaria de Estado de Saúde de Rio de Janeiro (SES) Autor
  • Alvimar G. Delgado Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro-UFRJ Autor
  • Celia Maria de Araujo Romão Programa de Pós-Graduação em Vigilância Sanitária & Tecnologista em Saúde Pública do INCQS/FIOCRUZ. Autor
  • Antonio Eugenio Castro Cardoso de Almeida INCQS -FIOCRUZ Autor

DOI:

https://doi.org/10.3395/2317-269x.00488

Palavras-chave:

Hemodiálise, Monitoramento, Função renal, Transplante renal

Resumo

A hemodiálise, assim como o transplante renal, é uma forma de terapia de substituição da função renal que permite aos pacientes a manutenção das condições clínicas necessárias a uma boa qualidade de vida. A água é o maior insumo consumido neste procedimento sendo de relevante importância o seu controle adequado, pois nela podem estar ocultos bactérias e outros contaminantes de baixo peso molecular. No Brasil, por determinação da ANVISA, a qualidade da água deve ser monitorada mensalmente através das análises de rotina (ARs) das unidades de diálise (UDs). No Rio de Janeiro (RJ), o acompanhamento de tais diretrizes é feito pelo Programa de Monitoramento da Qualidade da Água (PMQA) das Vigilâncias Sanitárias em conjunto com o INCQS/FIOCRUZ, através de análises fiscais (AFs) anuais. Objetivo: Comparar os resultados das ARs, realizadas pelas UDs, com os resultados obtidos pelas AFs. Método: Foi realizado um estudo comparativo, do tipo transversal, entre os resultados das ARs e AFs, em quatro pontos selecionados no sistema de tratamento e distribuição da água de 22 UDs. Resultados: Dezoito das 22 UDs apresentaram resultados similares (81,8%) entre as amostras, enquanto quatro (18,2%) apresentaram resultados diferentes. Destas, três apresentaram AFs insatisfatórias e ARs satisfatórias, enquanto uma apresentou AF satisfatória com AR insatisfatória. Conclusão: As AFs e as ARs apresentaram resultados similares acima dos 80%, indicando que os instrumentos de avaliação da qualidade da água das UDs, empregados atualmente pelos órgãos de Vigilância Sanitária, traduziram a realidade histórica das ARs.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Sonia Silva Ramirez, Superintendencia de Vigilância Sanitária(SUVISA)da Secretaria de Estado de Saúde de Rio de Janeiro (SES)
    Farmaceutica, especialista e mestre em Vigilância Sanitária pelo INCQS-FIOCRUZ. Especialista em inspeções na área  de Hemodiálise.
  • Alvimar G. Delgado, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro-UFRJ
    Professor adjunto e Coordenador de Ensino de Nefrologia da Faculdade de Medicina da Unversidade Federal do rio de Janeiro -UFRJ.
  • Celia Maria de Araujo Romão, Programa de Pós-Graduação em Vigilância Sanitária & Tecnologista em Saúde Pública do INCQS/FIOCRUZ.
    Farmaceutica, Mestre em Microbiologia pela UFRJ, Doutora em Biologia Parasitária  pelo IOC-FIOCRUZ.
  • Antonio Eugenio Castro Cardoso de Almeida, INCQS -FIOCRUZ

    Possui graduação em Farmácia pela Universidade Federal da Bahia (1978), mestrado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1986). Doutor em Vigilância Sanitária - área de concentração Qualidade de Produtos em Saúde, pela Fundação Oswaldo Cruz (2005). Membro permanente do corpo docente do Programa de Pós-Graduação em Vigilância Sanitária do Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde da FIOCRUZ. Desde 1983 é Tecnologista em Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz.Tem experiência na área de Microbiologia e Imunologia, incluíndo o Controle de Qualidade de Produtos ligados a Saúde Pública com ênfase em Microbiologia Médica e Imunologia Aplicada (vacinas), atuando principalmente nos seguintes temas: Haemophilus influenzae e meningites bacterianas, Haemophilus influenzae não-b, Haemophilus influenzae não tipável (NT), sensibilidade aos antimicrobianos utilizados contra o H. influenzae e tipos de vacinas conjugadas, utilizadas atualmente, contra o Hib. Desenvolve estudos para novas vacinas, contra os H. influenzae não b. Participa também de projetos para melhoria de produtos biológicos (área de diagnóstico) ligados a Saúde Pública. É Coordenador do Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT) do INCQS-FIOCRUZ

    CV: http://lattes.cnpq.br/5919905330476546

Downloads

Publicado

2015-08-26

Edição

Seção

Artigo

Como Citar

Água para hemodiálise: estudo comparativo entre os resultados das análises fiscais e as análises de rotina realizadas em unidades de diálise no estado do Rio de Janeiro. (2015). Vigilância Sanitária Em Debate , 3(3), 104-109. https://doi.org/10.3395/2317-269x.00488

Artigos Semelhantes

1-10 de 133

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)