Perfil de estabelecimentos de saúde brasileiros participantes da Rede Sentinela

  • Ana Paula Coelho Penna Teixeira Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Brasília, DF
  • Leonardo Oliveira Leitão Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Brasília, DF
  • Patricia Fernanda Toledo Barbosa Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Brasília, DF
  • Dolly Milena O.T. Cammarota Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Brasília, DF
  • Vanessa Louis Camilo Rocha Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Brasília, DF
Palavras-chave: Vigilância Sanitária, Anvisa, Estabelecimentos de Saúde

Resumo

Introdução: Com o objetivo de criar um observatório nos serviços de saúde que funcionasse como referência para monitorar e notificar eventos adversos e queixas técnicas no pós-uso de produtos sujeitos à vigilância sanitária, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), iniciou em 2002, o Projeto Rede Sentinela. Objetivo: Verificar o perfil da Rede no ano de 2016, para nortear a agência para o planejamento de novos credenciamentos. Método: Estudo descritivo e quantitativo, elaborado a partir da coleta de informações dos documentos enviados para Anvisa, pelas instituições de saúde. Resultados: A Rede apresenta 221 instituições credenciadas, que correspondem a 3,0% dos hospitais brasileiros. Estes serviços estão presentes em 24 das 27 unidades federativas do Brasil: 56,0% são hospitais de grande porte e 24,0%, de médio porte. Dos 50 hospitais universitários federais, 23 fizeram adesão à Rede Sentinela e, dentre estes, atualmente 19 são administrados pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH). Do universo da Rede, 161 são hospitais gerais e 60 são instituições especializadas. Destaca-se que 126 instituições da Rede são certificadas como hospitais de ensino, o que representa 64% dos hospitais certificados pelo Ministério da Educação (MEC). Conclusões: É importante haver uma contínua reflexão quanto à representatividade do conjunto de hospitais sentinela no Brasil com vistas à melhoria contínua da vigilância pós-comercialização. Nesse sentido, faz-se necessário envidar esforços para o credenciamento de outros hospitais, inclusive nos estados sem representatividade, bem como desenvolver novas estratégias de fortalecimento da Rede.

Biografia do Autor

Ana Paula Coelho Penna Teixeira, Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Brasília, DF

Gerência Geral de Monitoramento de Produtos Sujeitos à Vigilância Sanitária -  Gerência de Hemo Bio vigilância e outros produtos sujeitos à Vigilância Sanitária

Publicado
2017-11-30
Como Citar
Teixeira, A. P., Leitão, L., Barbosa, P., Cammarota, D., & Rocha, V. (2017). Perfil de estabelecimentos de saúde brasileiros participantes da Rede Sentinela. Vigilância Sanitária Em Debate: Sociedade, Ciência & Tecnologia, 5(4), 88-93. https://doi.org/10.22239/2317-269x.01006
Seção
Relato de Experiência