Desafios e perspectivas na vigilância sanitária pós-comercialização/uso

Palavras-chave: Vigilância Sanitária, Risco Sanitário, Vigilância de Produtos Comercializados;, Gestão de Riscos e Efeitos Adversos

Resumo

Trata-se de um ensaio que busca refletir sobre os desafios e as perspectivas para a vigilância pós-comercialização/uso (Vigipós) no Brasil. Com base numa revisão não sistemática da literatura, são apontados alguns desafios como: 1) necessidade de revisão do modelo de gestão do risco na pós-comercialização/uso; 2) fortalecimento do trabalho da Rede Sentinela; 3) análise sistêmica das notificações e integração entre os sistemas de informação; e 4) implantação efetiva do sistema de rastreabilidade de produtos. Apenas alguns desafios foram colocados em debate, sabendo que muitos outros existem para ampliação e aperfeiçoamento da Vigipós, considerando a dinamicidade e a globalização das relações de produção-consumo no que se conhece por sociedade de risco.

Biografia do Autor

Mary Anne Fontenele Martins, Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), Brasil

Graduação em Enfermagem pela Universidade Estadual do Ceará (1998), Especialização em Vigilância Sanitária pela Fiocruz (2008), Especialização e Mestrado em Saúde Pública pela Universidade Federal do Ceará (2003). Doutoranda em Saúde Coletiva pela Universidade de Brasília. Participação na equipe de implantação das Mircroregioões de Saúde do Ceará e atuação na Regional de Saúde de Maracanaú (2002-2005). Especialista em Regulação e Vigilância Sanitária da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), desde 2005. Nesta Agência, atuação na Gerencia Geral de Regulação Econômica, responsável pelo planejamento da área e elaboração do projeto de Avaliação de Tecnologias em Saúde para o Termo de Cooperação Técnica Internacional TC 37 ? OPAS. Participação na equipe de elaboração do Plano Diretor de Vigilância Sanitária e na organização da Secretaria Executiva do Conselho Consultivo da Anvisa.Ouvidora substituta da Agência (2007-2010), desenvolvendo projetos de participação e controle social. Gerente Geral da área responsável pelo registro de Saneantes da Anvisa (2011-2012). Desde 2013, na Assessoria de Planejamento, responsável pela elaboração/monitoramento do Contrato de Gestão e do Relatório de Gestão da Anvisa. Coordenação e articulação dos projetos de cooperação técnica com os organismos internacionais (OPAS e PNUD). Participação na equipe de desenvolvimento do modelo de avaliação das ações de vigilância sanitária - Projeto PROADI-SUS. Participante da equipe de criação da Fábrica de ideias e do Laboratório de Inovação da Anvisa. Coordenação do processo de elaboração da Política de Gestão de Riscos da Anvisa e sua implantação. Conhecimentos em vigilância sanitária, gestão, planejamento estratégico em saúde e avaliação em saúde; elaboração e gestão de projetos, elaboração de indicadores e metas, e aplicação das técnicas de identificação e gestão de riscos nas organizações públicas.

Ana Paula Coelho Penna Teixeira, Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Brasília, DF

Trabalho na Anvisa, atualmente na Gerência de Hemo, Bio vigilância e outros produtos sujeitos a vigilância sanitária. É especialista em regulação e vigilância sanit da Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Tem experiência na área de Saúde Coletiva, com ênfase em Saúde Coletiva. Trabalhou como Fisioterapeuta em uma clínica neurológica e no SUS em uma Unidade de Terapia Intensiva.

Publicado
2019-11-28
Como Citar
Martins, M. A., & Teixeira, A. P. (2019). Desafios e perspectivas na vigilância sanitária pós-comercialização/uso. Vigilância Sanitária Em Debate: Sociedade, Ciência & Tecnologia, 7(4), 3-9. https://doi.org/10.22239/2317-269x.01425