On the alleged anticancer efficacy of phosphoethanolamine pill, weakness of the scientific evidence and ethical concerns

  • Francisco José Roma Paumgartten Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz (ENSP/FIOCRUZ), Brasil
Palavras-chave: Estudos Pré-clínicos, Ética em Pesquisa Clínica, Medicamentos Antineoplásicos, Medicamentos Oncológicos, Câncer

Resumo

TÍTULO PT: Sobre a alegada eficácia anti-câncer da pílula de fosfoetanolamina, fragilidade da evidência científica e preocupações éticas

Tem sido informalmente relatado que pacientes com câncer melhoraram após tomar pílulas de fosfoetanolamina sintética (sin-FEA) produzidas e distribuídas por químicos de uma universidade brasileira. Embora os inventores da sin-FEA divulguem na imprensa leiga que o seu medicamento é eficaz contra diferentes tipos de tumores malignos, eles não apresentaram documentação clínica e relatos de caso que corroborem esta afirmação. Além disso, a sin-FEA não mostrou uma resposta anticarcinogênica consistente em ensaios in vitro com células neoplásicas humanas e murinas, e em testes in vivo em roedores com tumores transplantados. Apesar da falta de evidência não clínica e clínica de eficácia e segurança deste medicamento, uma lei autorizando a produção, prescrição e consumo da sin-FEA foi aprovada pelo Congresso e sancionada sem vetos pela presidente (Lei no 13.269/2016) em 13 de abril de 2016. Surpreendentemente, a Comissão Nacional de Ética em Pesquisa aprovou (em 19 de abril de 2016) testes da sin-FEA em pacientes apesar da ausência de indícios cientificamente válidos de provável eficácia e de adequada avaliação pré-clínica de segurança. É improvável que a sin-FEA seja útil no tratamento do câncer. Entretanto, a triste história da sin-FEA inevitavelmente maculou a reputação do país com respeito à regulação de medicamentos e padrões éticos de pesquisa clínica.

Biografia do Autor

Francisco José Roma Paumgartten, Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz (ENSP/FIOCRUZ), Brasil
Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro(1974), especialização em Biofísica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro(1975), especialização em Psiquiatria pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro(1978), doutorado em Farmacologia pela Universidade Federal de São Paulo(1983) e pós-doutorado pela Freie Universitaet Berlin Institut f Toxikologie u Embryopharmakologie(1989). Atualmente é Pesquisador Titular III do Fundação Oswaldo Cruz e Membro de corpo editorial da The Open Environmental Pollution and Toxicology Journal. Tem experiência na área de Farmacologia, com ênfase em Toxicologia. Atuando principalmente nos seguintes temas:Apomorphine, Behavioral Effects, Dopaminergic Systems, Dopaminergic Agonists, REM-sleep deprivation. CV: http://lattes.cnpq.br/6626554938516040
Publicado
2016-08-30
Como Citar
Paumgartten, F. (2016). On the alleged anticancer efficacy of phosphoethanolamine pill, weakness of the scientific evidence and ethical concerns. Vigilância Sanitária Em Debate: Sociedade, Ciência & Tecnologia, 4(3), 4-12. https://doi.org/10.22239/2317-269x.00822
Seção
Debate