Drug repurposing clinical trials in the search for life-saving COVID-19 therapies; research targets and methodological and ethical issues

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22239/2317-269X.01596

Palavras-chave:

COVID-19, Estudos Clínicos, Drogas Antivirais, Pneumonia, Síndrome Respiratória Aguda Grave

Resumo

TÍTULO PT: Ensaios clínicos para reposicionamento de medicamentos para COVID-19 na busca de terapias para salvar vidas; alvos de pesquisa, e questões metodológicas e éticas

Introdução: Até agora, não há vacinas ou medicamentos eficazes para tratar COVID-19, uma infecção viral respiratória emergente mais letal do que a gripe. Objetivo: Desenhar um quadro das pesquisas planejadas e em curso sobre medicamentos potencialmente úteis para tratar infecções por SARS-CoV-2. Método: Um levantamento foi realizado (20 de abril de 2020) em um registro internacional de estudos clínicos (https://ClinicalTrials.gov, US NIH). Após excluir estudos observacionais e outras interveções fora do escopo deste estudo, 294 protocolos (de 516 identificados na busca) foram selecionados para análise. Resultados: De 294 ensaios incluídos, 249 eram Ensaios Controlados Randomizados (ECR), dos quais 118 eram estudos duplo-, triplo- ou quadruplo-cego. As intervenções (medicamentos testados) foram comparadas com o “tratamento padrão” (TP) ou com placebo mais TP, ou ainda com comparadores supostamente ativos. ECR abordaram o tratamento primário da doença (inibidores da replicação viral) ou a resolução da super-inflamação na pneumonia e Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo (SDRA), e do tromboembolismo associados ao SARS-CoV-2. Os ensaios localizados no registro envolviam fármacos antivirais com múltiplos modos de ação e medicamentos anti-parasitários que inibem a replicação viral em cultura de células. Em relação às terapias imunomodulatória, antiinflamatória e antitrombótica adjuvantes, inúmeros medicamentos com alvos farmacológicos distintos também estão sendo investigados em ensaios envolvendo pacientes graves com COVID-19. Conclusões: Embora muitos ensaios clínicos de medicamentos para COVID-19 tenham sido planejados e estejam em andamento, apenas uma minoria deles são estudos suficientemente grandes, randomizados, controlados com placebo e com mascaramento, e ocultação da alocação. Em virtude das limitações metodológicas apontadas, provavelmente apenas uns poucos ensaios clínicos fornecerão evidências robustas da eficácia e segurança de medicamentos potencialmente redirecionáveis para COVID-19.

Biografia do Autor

Francisco José Roma Paumgartten, Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz (ENSP/FIOCRUZ), Brasil

Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro(1974), especialização em Biofísica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro(1975), especialização em Psiquiatria pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro(1978), doutorado em Farmacologia pela Universidade Federal de São Paulo(1983) e pós-doutorado pela Freie Universitaet Berlin Institut f Toxikologie u Embryopharmakologie(1989). Atualmente é Pesquisador Titular III do Fundação Oswaldo Cruz e Membro de corpo editorial da The Open Environmental Pollution and Toxicology Journal. Tem experiência na área de Farmacologia, com ênfase em Toxicologia. Atuando principalmente nos seguintes temas:Apomorphine, Behavioral Effects, Dopaminergic Systems, Dopaminergic Agonists, REM-sleep deprivation. CV: http://lattes.cnpq.br/6626554938516040Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro(1974), especialização em Biofísica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro(1975), especialização em Psiquiatria pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro(1978), doutorado em Farmacologia pela Universidade Federal de São Paulo(1983) e pós-doutorado pela Freie Universitaet Berlin Institut f Toxikologie u Embryopharmakologie(1989). Atualmente é Pesquisador Titular III do Fundação Oswaldo Cruz, Revisor de periódico da Plos One, Revisor de periódico da Human and Experimental Toxicology, Revisor de periódico da BMC Public Health (Online), Revisor de periódico da Reproductive Toxicology (Elmsford, N.Y.), Revisor de periódico da Food and Chemical Toxicology, Revisor de periódico da Toxicology Letters, Revisor de periódico da Memórias do Instituto Oswaldo Cruz (Impresso), Revisor de periódico da Cadernos de Saúde Pública (ENSP. Impresso), Revisor de periódico da Ciência e Saúde Coletiva (Impresso), Revisor de periódico da Environmental Research (New York, N.Y. Print), Revisor de periódico da Anais da Academia Brasileira de Ciências (Impresso), Revisor de periódico da Vigilância Sanitária em Debate: Sociedade, Ciência & Tecnologia, Revisor de periódico da Brazilian Journal of Medical and Biological Research (Impresso), Revisor de periódico da Pharmacoepidemiology and Drug Safety, Revisor de periódico da Journal of Public Health, Membro de corpo editorial da Public Health and Emergency, Membro de corpo editorial da Vigilância Sanitária em Debate: Sociedade, Ciência e Tecnologia, Revisor de periódico da Toxicology Pathology, Revisor de periódico da Evidence-Based Complementary and Alternative Medicine (Print), Revisor de periódico da Canadian Journal of Physiology and Pharmacology (Print), Revisor de periódico da REVISTA DO INSTITUTO DE MEDICINA TROPICAL DE SÃO PAULO, Revisor de periódico da BMC Trials, Revisor de periódico da Brazilian Journal of Pharmaceutical Sciences, Revisor de periódico da Journal of Toxicology and Environmental Health. Part B, Critical Reviews, Revisor de periódico da BMC Environmental Health, Revisor de periódico da Tropical Medicine and International Health, Revisor de periódico da BMC Complementary and Alternative Medicine, Revisor de periódico da JOURNAL OF MEDICAL ENTOMOLOGY, Revisor de periódico da JOURNAL OF MEDICAL ENTOMOLOGY e Revisor de periódico da Clinical Epidemiology. Tem experiência na área de Farmacologia, com ênfase em Toxicologia. Atuando principalmente nos seguintes temas:Apomorphine, Behavioral Effects, Dopaminergic Systems, Dopaminergic Agonists, REM-sleep deprivation. 

Isabella Fernandes Delgado, Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde, Fundação Oswaldo Cruz (INCQS/Fiocruz), Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Possui doutorado em Ciências Biológicas pela Universidade Livre de Berlim, Alemanha (1996). É membro da equipe da Coordenação Geral de Educação, vinculada à Vice-Presidência de Educação, Comunicação e Informação da Fiocruz, onde atua como coordenadora adjunta da Escola de Governo Fiocruz (EGF) e coordena a área de cursos Lato sensu. Atualmente, é coordenadora adjunta do Comitê de Avaliação da área Interdisciplinar da CAPES e editora científica do periódico "Vigilância Sanitária em Debate: Sociedade, Ciência & Tecnologia". Participa como docente permanente do Programa de Pós-graduação em Vigilância Sanitária da Fiocruz. Foi Vice-Diretora do Instituto Nacional de Controle da Qualidade em Saúde - INCQS/Fiocruz, no período de 2010 a 2017. Foi membro do conselho gestor da Rede Nacional de Métodos Alternativos ao uso de Animais - RENAMA/MCTIC, entre 2012 a 2017. No período de 2015 a 2017, foi representante do Brasil no "International Cooperation on Alternative Test Methods", grupo coordenado pelo European Union Reference Laboratory for Alternatives to Animal Testing (EURL-ECVAM) do Joint Research Centre (EU). Foi coordenadora do Consórcio para o estudo da aplicabilidade, aprimoramento e disseminação nacional de métodos alternativos para a detecção da contaminação pirogênica em produtos para a saúde e do Projeto de Apoio à gestão e implantação de metodologias alternativas ao uso de animais na RENAMA. No período de 2017 a 2019, foi membro titular no Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal (CONCEA/MCTIC), como representante do MEC. Foi presidente da Comissão Própria de Avaliação (CPA) da Fiocruz (2017 - 2019) . Tem experiência em Vigilância Sanitária, principalmente nos seguintes temas: Toxicologia Preditiva, Controle da Qualidade de Produtos, Estudo de estratégias integradas para a avaliação da segurança de produtos para saúde e Desenvolvimento/validação de métodos alternativos ao uso de animais.

Luciana da Rocha Pitta, Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde, Fundação Oswaldo Cruz (INCQS/Fiocruz), Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Possui graduação em Estatística pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, pós graduação em Gerencia de Projeto pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, pós graduação em Gestão da Inovação em Fitomedicamentos, mestrado em Vigilãncia Sanitária pela Fundação Oswaldo Cruz (INCQS). Atualmente sou Gerente de Projetos de Farmanguinhos (FIOCRUZ), trabalho na área de Pesquisa e Desenvolvimento e faço doutorado no INCQS. Experiencia em Farmacocinética e monitoria clínica.

Ana Cecilia Amado Xavier de Oliveira, Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz (ENSP/FIOCRUZ), Brasil

 

Ana Cecilia Amado Xavier de Oliveira possui graduação em Medicina pela Universidade Gama Filho (1977), mestrado e doutorado em Biologia Celular e Molecular pelo IOC / FIOCRUZ (1996; 2008) e pós-doutorado pela Universidade da Finlândia Oriental (antiga Universidade de Kuopio), localizada na cidade de Kuopio, Finlândia (2009). É pesquisador titular da Fundação Oswaldo Cruz, com experiência na área de Farmacologia e Toxicologia, com ênfase em Toxicologia Bioquímica e Molecular. Atua, principalmente, nos estudos da regulação da expressão e das atividades das enzimas de desintoxicação Citocromos P450 (CYP), com ênfase em CYP2A5 murina e CYP2A6 humana, e das enzimas da fase 2 do metabolismo in vivo e in vitro. O foco principal do estudo é compreender os elos entre os sistemas imune e de biotransformação mediante estímulo inflamatório. O estudo in vivo compreende modelos murinos de doenças infecciosas, como malária e esquistossomose, e sepse induzida com LPS de Escherichia coli. No estudo in vitro, busca-se compreender os mecanismos subjacentes às alterações da expressão de CYP mediante estímulo imune. No modelo in vitro de estímulo inflamatório, células de hepatocarcinoma humano são desafiadas com endotoxinas, citocinas recombinantes e substâncias doadoras de óxido nítrico, simulando um processo inflamatório. O envolvimento de fatores de transcrição de ação protetora contra o estresse oxidativo hepático é objeto de nosso estudo. Orientadora de mestrado do Programa de Saúde Pública e Meio Ambiente da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP) / FIOCRUZ.

Publicado

2020-05-29 — Atualizado em 2020-10-15

Versões

Como Citar

Paumgartten, F. J. R., Delgado, I. F., Pitta, L. da R., & Oliveira, A. C. A. X. de. (2020). Drug repurposing clinical trials in the search for life-saving COVID-19 therapies; research targets and methodological and ethical issues. Vigil. Sanit. Debate, Rio De Janeiro, 8(2), 39–53. https://doi.org/10.22239/2317-269X.01596 (Original work published 29º de maio de 2020)

Edição

Seção

COVID-19/SARS-CoV-2 Artigo

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 > >>