Resistência antimicrobiana em cepas de Escherichia coli isoladas de queijo Minas Frescal no município do Rio de Janeiro – Perfil fenotípico e genotípico

Palavras-chave: Resistência antimicrobiana, E. coli, Integron, Queijo Minas Frescal

Resumo

Introdução: A resistência antimicrobiana é um problema de saúde pública. Os alimentos podem ser veículos de bactérias resistentes a antimicrobianos e genes de resistência para os seres humanos. Objetivo: Isolamento, identificação, avaliação da susceptibilidade antimicrobiana e identificação de genes de resistência e integrons em Escherichia coli isoladas de queijo Minas Frescal. Método: Avaliação da presença de E. coli em trinta amostras de queijo Minas Frescal por meio de Placas Petrifilm 3M™. Trinta isolados de E. coli foram avaliados através do teste de sensibilidade por disco difusão para 17 agentes antimicrobianos. Isolados fenotipicamente resistentes foram examinados por meio de PCR e Multiplex PCR para 24 genes de resistência. Genes e regiões variáveis dos integrons de classe 1, 2 e 3 também foram avaliados. Resultados: Em 50% dos isolados verificou-se resistência fenotípica a uma ou mais classes de antimicrobianos. Cem por cento dos isolados apresentaram o gene blaTEM e houve amplificação dos genes blaSHV e tetB. Além disso, 46,6% dos isolados fenotipicamente resistentes amplificaram para uma ou mais classes de integrons. Este é um dos primeiros estudos a identificar esses genes em queijo Minas Frescal no Brasil. Conclusões: O queijo pode ser uma fonte de bactérias multirresistentes e estas podem disseminar seus genes de resistência a bactérias presentes no alimento e no trato gastrointestinal humano, demonstrando a importância das Boas Práticas de Fabricação e a necessidade de maior fiscalização dos produtos colocados à venda.

Biografia do Autor

Bruna Amatto Duarte Pires, Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS), Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Doutorado pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS) na FIOCRUZ na área de Ciências- Vigilância Sanitária (2017); Mestrado Acadêmico pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS) na FIOCRUZ na área de Ciências- Vigilância Sanitária (2013); Especialização em Segurança Alimentar e Qualidade Nutricional pelo IFRJ (2012); Graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro- UNIRIO (2010). Participante do grupo de pesquisa em Autenticidade Alimentar - FIOCRUZ, na linha de pesquisa: Identificação Molecular de Fraudes nos Alimentos e no grupo de pesquisa de Vigilância Sanitária- UNIRIO.

Juliana Wolff Salles de Oliveira, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Formada em Nutrição pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), onde atuou em projetos na área de biologia molecular envolvendo a tipagem fenotípica, identificação de genes, caracterização de bactérias e susceptibilidade a antimicrobianos no Laboratório da Universidade. Participou também de projetos na área de segurança alimentar e qualidade nutricional dentro da área de Controle Microbiológico. Possui experiência em segurança alimentar, microbiologia e biologia molecular. (

Shirley de Mello Pereira Abrantes, Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS), Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Possui doutorado em Química pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1998) e pós-doutorado pela Universidade de Indiana/EUA. Atualmente é pesquisadora titular em saúde pública aposentada da Fundação Oswaldo Cruz e faz parte do corpo docente do Programa de Pós-Graduação em Vigilância Sanitária do Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde da Fundação Oswaldo Cruz. Tem experiência na área de Química, com ênfase em Análise de Traços e Química Ambiental, atuando principalmente nos seguintes temas: validação de métodos analíticos, determinação de tuberculostáticos, determinação de migrantes tóxicos em produtos, corantes artificiais, café, eletroforese capilar, pvc, nylon 6 e cromatografia gas e líquida de alta eficiência. Atualmente tem interesse na área de nanotecnologia. É revisora dos seguintes periódicos: Talanta, Analytica Chimica Acta, Journal of the American Oil Chemists'Society, Analytical Sciences, Journal of the Brazilian Chemistry Society, Química Nova, Revista de Ciência e Tecnologia de Alimentos, Revista Espanola de Ciencia y Tecnología de Alimentos, Analytica e Higiene Alimentar. Sócia Presidente e docente da Empresa SMPA Capacitação que oferece cursos na empresa de Validação de Métodos Analíticos, Regulamentação Sanitária de Material em Contato com Alimentos e Possibildade de Contaminação por Migrantes Orgânicos de Materiais em Contato, entre outros.

Victor Augustus Marin, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Graduação em Licenciatura em Ciências com Habilitação em Biologia pela Uniararas (1992), mestrado em Genética e Melhoramento de Plantas pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ/USP - 1996), Doutorado em Biotecnologia Vegetal pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRL - 2001) e Pós-doutorado pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS/FIOCRUZ). Atualmente professor e orientador da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO); colaborador da Associação Brasileira das Indústrias de Química Fina (ABIFINA); Responsável pelo Laboratório de Controle Microbiológico de Alimentos da Escola de Nutrição (LACOMEN), o qual é um laboratório colaborador da Coordenação Geral de Laboratórios de Saúde Pública (CGLAB) da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS) do Ministério da Saúde (MS); Linhas de pesquisa: Avaliação de Riscos e Segurança dos Alimentos; Plantas Medicinais, Drogas Vegetais e Fitoterápicos; Controle Microbiológico de Alimentos; Resistência Antimicrobiana; Revisão Sistemática e Metanálise; Autenticidade Alimentar e Bioinformática aplicada à genômica.

Publicado
2019-08-30
Como Citar
Pires, B., Oliveira, J., Silva, C., Abrantes, S., & Marin, V. (2019). Resistência antimicrobiana em cepas de Escherichia coli isoladas de queijo Minas Frescal no município do Rio de Janeiro – Perfil fenotípico e genotípico. Vigilância Sanitária Em Debate: Sociedade, Ciência & Tecnologia, 7(3), 86-91. https://doi.org/10.22239/2317-269x.01296
Seção
Comunicação breve