Parâmetros físico-químicos incomuns em água de abastecimento público de um município da região nordeste do Estado de São Paulo (Brasil)

  • Sergio Dovidauskas Centro de Laboratório Regional, Instituto Adolfo Lutz de Ribeirão Preto VI (CLR/IAL), São Paulo, SP
  • Isaura Akemi Okada Centro de Laboratório Regional, Instituto Adolfo Lutz de Ribeirão Preto VI (CLR/IAL), São Paulo, SP
  • Maria Helena Iha Centro de Laboratório Regional, Instituto Adolfo Lutz de Ribeirão Preto VI (CLR/IAL), São Paulo, SP
  • Álvaro Gennari Cavallini Centro de Laboratório Regional, Instituto Adolfo Lutz de Ribeirão Preto VI (CLR/IAL), São Paulo, SP
  • Marina Miyuki Okada Centro de Laboratório Regional, Instituto Adolfo Lutz de Ribeirão Preto VI (CLR/IAL), São Paulo, SP
  • Rita de Cássia Briganti Centro de Laboratório Regional, Instituto Adolfo Lutz de Ribeirão Preto VI (CLR/IAL), São Paulo, SP
Palavras-chave: Qualidade da Água, Análise Físico-química, Análise de Componente Principal, Vigilância Sanitária

Resumo

Amostras de águas de abastecimento público (n = 4347) de 88 municípios do nordeste do Estado de São Paulo (Brasil) foram analisadas em 21 parâmetros físico-químicos: temperatura, condutividade (por condutimetria), cloro residual livre (colorimetria com N,N-dietil-p-fenilenodiamina), pH (potenciometria), cor aparente (espectrofotometria), turbidez (nefelometria), e concentrações de Li+, Na+, NH4+, K+, Ca2+, Mg2+, F-, ClO2-, BrO3-, Cl-, Br-, ClO3-, NO3-, PO43- e SO42- (cromatografia de íons). Os resultados foram submetidos à análise multivariada de dados. A análise de componentes principais das medianas de 12 variáveis (pH, condutividade, Li+, Na+, K+, Ca2+, Mg2+, Cl-, ClO3-, NO3-, PO43-, SO42-) dos 88 municípios indicou Ibitinga como local com água de características físico-químicas únicas, caracterizada pelas concentrações relativas mais altas de sulfato, cloreto, lítio e sódio, e aos valores maiores de pH e condutividade. Em adição, Ibitinga foi o único município que apresentou sistematicamente brometo na composição da água. Uma segunda análise de componentes principais envolvendo as amostras de Ibitinga indicou uma amostra com concentrações mais altas de cloreto e sulfato, e quatro amostras nas quais a presença de nitrato foi característica. Análises de agrupamento hierárquico exibiram a formação dos mesmos grupos produzidos nas duas análises de componentes. A validação dos métodos cromatográficos também é apresentada.

Biografia do Autor

Sergio Dovidauskas, Centro de Laboratório Regional, Instituto Adolfo Lutz de Ribeirão Preto VI (CLR/IAL), São Paulo, SP

Centro de Laboratório Regional - Instituto Adolfo Lutz de Ribeirão Preto VI - Núcleo de Ciências Químicas e Bromatológicas

Isaura Akemi Okada, Centro de Laboratório Regional, Instituto Adolfo Lutz de Ribeirão Preto VI (CLR/IAL), São Paulo, SP

Centro de Laboratório Regional - Instituto Adolfo Lutz de Ribeirão Preto VI - Núcleo de Ciências Químicas e Bromatológicas

Maria Helena Iha, Centro de Laboratório Regional, Instituto Adolfo Lutz de Ribeirão Preto VI (CLR/IAL), São Paulo, SP

Centro de Laboratório Regional - Instituto Adolfo Lutz de Ribeirão Preto VI - Núcleo de Ciências Químicas e Bromatológicas

Álvaro Gennari Cavallini, Centro de Laboratório Regional, Instituto Adolfo Lutz de Ribeirão Preto VI (CLR/IAL), São Paulo, SP

Centro de Laboratório Regional - Instituto Adolfo Lutz de Ribeirão Preto VI - Núcleo de Ciências Químicas e Bromatológicas

Marina Miyuki Okada, Centro de Laboratório Regional, Instituto Adolfo Lutz de Ribeirão Preto VI (CLR/IAL), São Paulo, SP

Centro de Laboratório Regional - Instituto Adolfo Lutz de Ribeirão Preto VI - Núcleo de Ciências Químicas e Bromatológicas

Rita de Cássia Briganti, Centro de Laboratório Regional, Instituto Adolfo Lutz de Ribeirão Preto VI (CLR/IAL), São Paulo, SP

Centro de Laboratório Regional - Instituto Adolfo Lutz de Ribeirão Preto VI - Núcleo de Ciências Químicas e Bromatológicas

Publicado
2017-03-07
Como Citar
Dovidauskas, S., Okada, I., Iha, M., Cavallini, Álvaro, Okada, M., & Briganti, R. (2017). Parâmetros físico-químicos incomuns em água de abastecimento público de um município da região nordeste do Estado de São Paulo (Brasil). Vigilância Sanitária Em Debate: Sociedade, Ciência & Tecnologia, 5(1), 106-115. https://doi.org/10.22239/2317-269x.00840
Seção
Artigo

Artigos mais lidos do mesmo autor