(In)Definições sobre o componente laboratorial de vigilância sanitária no Brasil

  • André Luís Gemal Instituto de Química, Universidade Federal do Rio de Janeiro (IQ/UFRJ)
  • Claudia Regina Rodrigues Ribeiro Teixeira Fundação Oswaldo Cruz/INCQS
  • Eduardo Hage Carmo Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde
  • Nery Cunha Vital Fundação Ezequiel Dias (FUNED)
Palavras-chave: Vigilância Sanitária, INCQS, Anvisa, Laboratório de Controle, Legislação Sanitária

Resumo

O artigo busca apresentar a formação do laboratório de vigilância sanitária no Brasil, a partir da criação do Laboratório Central de Controle de Drogas e Medicamentos (LCCDM), em 1954, e as mudanças ocorridas com a transformação do mesmo no Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS), em 1981, e posteriormente, com a criação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), em 1999. Discute também as mudanças organizacionais e o seu impacto no controle analítico do risco sanitário dos produtos ofertados à população.

Biografia do Autor

Claudia Regina Rodrigues Ribeiro Teixeira, Fundação Oswaldo Cruz/INCQS
História da Saúde. Vigilância Sanitária
Publicado
2016-11-25
Como Citar
Gemal, A., Teixeira, C., Carmo, E., & Vital, N. (2016). (In)Definições sobre o componente laboratorial de vigilância sanitária no Brasil. Vigilância Sanitária Em Debate: Sociedade, Ciência & Tecnologia, 4(4), 5-12. https://doi.org/10.22239/2317-269x.00772